Escolha uma Página
Exército constrói ponte para passagem de veículos pesados
Os militares do 6º BEC iniciaram a montagem da ponte, que foi concluída na noite de quarta feira (5)
YANA LIMA
Editoria de Cidade
Uma ponte metálica, construída desde a madrugada de quarta-feira (5), será usada para restabelecer o tráfego de veículos no trecho atingido por um deslizamento de terras, no quilômetro 57 da rodovia BR-174, que liga Boa Vista a Manaus. Apesar de o 6° Batalhão de Engenharia e Construção ter informado que às 19h o tráfego de veículos seria normalizado, a passagem de veículos foi autorizada somente na manhã desta quinta-feira (6), em meia pista.
No último domingo (2), cerca de 300 metros da rodovia, a 117 quilômetros da capital amazonense, desabaram após fortes chuvas que caíram na região. O desabamento de terras fez com que a rodovia ficasse a ponto de romper totalmente. O estrago foi tanto que, inicialmente, somente pedestres foram autorizados a passar.
Mesmo com a expectativa pela liberação, a maioria dos motoristas optou por aguardar para seguir viagem somente na manhã de quinta-feira. A movimentação fez lotar todas as pousadas do município, que possui aproximadamente 28 mil habitantes, população esta que costuma aumentar consideravelmente nos períodos propícios ao turismo.
Logo após o desmoronamento, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) fez uma recuperação superficial nos poucos metros que restaram da rodovia e, na tarde da última segunda-feira (3), liberou a passagem de carros de passeio e veículos de médio porte, sob controle da PRF. No dia seguinte voltou a chover no estado vizinho, voltando a preocupar as autoridades e aqueles que aguardavam para cruzar a estrada.
Nesta quarta-feira, o tráfego voltou a ser interditado para a construção de pontes pelo Exército. As estruturas metálicas que compõem a ponte partiram do 6° BEC, à pedido do 2° Grupamento de Engenharia (sediado no Amazonas), às 4h de terça-feira e na madrugada chegaram ao destino em 21 viaturas. Por volta das 7h, 90 militares começaram o serviço de montagem, o que demandou mais de dez horas de trabalho.
Desenhadas para uso militar, as Pontes Bailey portáteis e pré-fabricadas são capazes de completar vãos de até 60 metros. Com elementos relativamente leves, a estrutura metálica pode ser transportada em viaturas e suporta a travessia de veículos de até 40 toneladas, ou 12 toneladas por eixo.
Esta será a segunda vez que uma Ponte Bailey será instalada no Amazonas. O primeiro uso de uma ponte do tipo para viabilizar o tráfego de veículos pesados foi requisitado ao Exército, em 2005, após um deslizamento de terras no quilômetro 103 da BR-174.
Procurado pela Folha, o Dnit no Amazonas, não informou quando será iniciada a restauração definitiva do trecho danificado. (Imagens: Jessé Souza)
Folha de Boa Vista/montedo.com
Skip to content