Escolha uma Página
Indústria de defesa
‘Gostaríamos de introduzir nossos veículos no Brasil, para ser mais exato, em Santa Maria’
Assim apresentou-se o presidente do conselho da polonesa Honker, Zbigniew Tadeusz Tyminski, durante reunião do Comdefesa-SM, na tarde desta quinta-feira
'Gostaríamos de introduzir nossos veículos no Brasil, para ser mais exato, em Santa Maria' Fernanda Ramos/Especial
Foto: Fernanda Ramos / Especial
Juliana Gelatti
Na tarde desta quinta-feira, ocorreu no nono andar da Cacism, a reunião de implantação do Comitê do Polo de Defesa de Santa Maria (Comdefesa/SM). Além das entidades representadas no comitê, foram convidados os três representantes da fábrica de jipes militares Honker, da Polônia. O presidente do conselho da Honker, Zbigniew Tadeusz Tyminski, explicou o que o grupo faz na cidade:
_ Gostaríamos de introduzir nossos veículos no Brasil, para ser mais exato, em Santa Maria. Penso que a nossa ação comum é promover o desenvolvimento da região, porque somente uma cooperação pode dar um resultado positivo _ falou Tyminski, em polonês traduzido pelo diretor da Honker Emanuel Neto, no momento em que todos os participantes da reunião se apresentaram e explicaram como pretendem contribuir para que a cidade se transforme em um polo de defesa.
_ Esperamos nos instalar em Santa Maria, se possível, ainda neste ano. A intenção é prover tanto as Forças Armadas quanto o público civil _ completou Ricardo Marques, que articula a vinda da Honker para a cidade.

Leia também:

Amorim vê Santa Maria como potencial pólo da indústria de Defesa

Com tecnologia inédita na América Latina, centro de treinamento do Exército vai custar R$ 500 milhões

A intenção do Comdefesa/SM é articular ações de empresários e entidades para identificar como fomentar a indústria da defesa na cidade, motivando o empreendedorismo local e a atração de empresas.
DIÁRIO DE SANTA MARIA/montedo.com
Skip to content