Escolha uma Página
24/12/13
Ministro da Justiça autoriza e Exército deve comandar segurança em AL
O governador Teotonio Vilela Filho acaba de falar com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que autorizou que as Forças Armadas assumam o comando da segurança em Alagoas.
O governador fez o pedido, como o blog antecipou em primeira mão, nesta segunda-feira, 23, a tarde diante do impasse com os militares que mantiveram a operação padrão mesmo depois de terem fechado acordo com o governo.
“Os militares não cumpriram o acordo e não restou outra alternativa ao governador”, aponta uma assessor que acompanha Téo Vilela na viagem a Brasília.
Depois do encontro com o ministro, Teotonio Vilela Filho esteve com o general Enzo Martins, comandante do Exército.
“O reforço das Forças Armadas já foi autorizado pelo governo federal e nesse momento o ministro Eduardo Cardozo está com a presidente Dilma Rousseff cuidando de detalhes da operação. Acredito que logo depois do Natal as tropas chegarão a Alagoas”, adianta o assessor.

Leia também:
Exército pode atuar em Alagoas durante operação padrão da PM

O governo ainda trabalha, como plano B, com a alternativa de retorno pleno dos policiais militares a suas funções. “Enquanto durar ainda que parcialmente a operação padrão, o comando da segurança de Alagoas ficará com o Exército. A preocupação do governo é com a tranquilidade da população”, reforça o assessor.
O ministro Eduardo Cardozo também prometeu o reforço de homens da Força Nacional e do Exército. Segundo ums site local, “Na reunião, Vilela afirmou que sua intenção é resolver a situação com os militares para que não seja necessária uma intervenção na segurança pública. A intenção do governo é garantir segurança à população durante as festas de final de ano”.
Em nota, os militares afirmaram o retorno gradativo às atividades, mas afirmaram que a operação iria continuar enquanto não se tivesse um acerto definitivo com o governo. Uma nova reunião está marcada para a próxima quinta-feira entre o governador e os comandantes dos batalhões da PM. Fonte: Gazetaweb
Correio do Povo de Alagoas/montedo.com
Skip to content