Escolha uma Página
Exército interdita fábrica de pólvora que explodiu e deixou um morto em Barreiros
A explosão da fábrica de pólvora negra e dinamite Elephant Indústria Química Limitada, no Engenho Herval, em Barreiros, na Mata Sul de Pernambuco, deixou uma pessoa morta, duas gravemente feridas e quatro com machucados leves. O impacto do acidente foi percebido até mesmo a 25 quilômetros de distância. O Exército interditou a fábrica até que as causas sejam apuradas e os prováveis problemas solucionados.
A vítima foi o encarregado de produção Valdomiro Luiz José, de 50 anos. Ainda não se sabe o que pode ter causado a explosão. Peritos do Instituto de Criminalística (IC) fazem a análise do local e o laudo será encaminhado ao Exército. Até o resultado ficar pronto, a fábrica não deverá funcionar.
Os feridos foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros para o Hospital Jailton Messias de Albuquerque, em Barreiros. Devido à gravidade do caso, foram transferidos para o Hospital da Restauração (HR), no Recife, onde estão internados nos setores de emergência e queimados.
Manassés Rodrigues da Silva, de 45 anos, sofreu queimaduras de segundo e terceiro grau em 80% do corpo. Já Hugo Ernesto de Moura, de 36 anos, tem politraumaustismo e queimaduras leves em um braço.
Impacto
De acordo com moradores, quando houve a explosão a terra tremeu. Na casa de Benedito Carlos da Silva, a dois quilômetros do local da explosão, o prejuízo também foi grande. “Quando explodiu, as telhas tremeram e o teto da minha casa desabou”, lamentou.
DIÁRIO de PERNAMBUCO/montedo.com
Skip to content