Escolha uma Página
Condenado por mortes de dois capitães
Pena de 24 anos de reclusão para Wagner Neves
Juiz de Fora (MG) – Depois de quase oito horas de julgamento, Wagner Neves, 33 anos, foi condenado nesta terça-feira (18) a 24 anos de reclusão por duplo homicídio qualificado. O réu foi considerado culpado pela participação nos assassinatos de dois capitães do Exército, em maio de 2010, na Cidade Alta. O júri popular, que começou às 13h30 desta terça no Tribunal do Júri do Fórum Benjamin Colucci, foi acompanhado por dezenas de militares do Exército Brasileiro, que comemoraram o resultado. A sentença foi lida pelo juiz José Armando Pinheiro da Silveira por volta das 21h15.
Waguim, como o condenado é conhecido, havia sido preso em agosto deste ano em uma manobra da 7ª Delegacia de Polícia Civil da cidade. Ele estava foragido desde a época do crime e foi capturado em Rio das Ostras (RJ). Desde então, ele estava preso no Ceresp.
Preso no Rio
Wagner Neves, o ‘Waguin’, foi condenado a 24 anos (
Os militares Eleonardo Sabadini Santos, 29 anos, e Daniel Azevedo Borges de Lima, 32, foram assassinados na Rua Engenheiro Valdir Pedro Monachesi, no Bairro Aeroporto. Eles estavam numa barraca de cachorro-quente do lado de fora de uma casa noturna, quando aconteceu a violência. A motivação do crime teria sido um desentendimento dentro da boate por causa de duas mulheres.
Em seu depoimento diante do juiz, na tarde desta terça, Wagner Neves negou participação no crime. Ele disse ao juiz José Armando que apenas acompanhava Adilson dos Santos, já condenado em 2011 a 23 anos de prisão pela coautoria do crime, e David Azevedo Marques, vulgo “Pimentinha”, condenado a 27 anos de prisão pela autoria. O réu afirmou que esteve foragido por algum tempo na Favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, e depois seguiu para Rio das Ostras, onde foi localizado por policiais civis de Juiz de Fora.
Tribuna de Minas/montedo.com
Skip to content