Escolha uma Página

Força Militar: Baixas na Força Aérea continuam
Cinco graduados da Base Aérea de Santa Cruz pediram baixa porque passaram no concurso da Polícia Rodoviária Federal


OSNI ALVES
Rio – Cinco graduados da Base Aérea de Santa Cruz pediram baixa porque passaram no concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O fato engrossa as estatísticas que indicam que o serviço militar já não se mostra tão atrativo em comparação há décadas passadas. Rendimentos incoerentes e, em alguns casos, infraestrutura deficitária são situações que desanimam os militares novos.
Estes oficiais levam consigo anos de treinamentos diferenciados em tecnologia militar custeados pelo poder público. Eles poderão brigar no mercado de trabalho por salários que dificilmente obteriam na Força. A Marinha, Exército e Aeronáutica, por sua vez, perdem muito mais que capital humano qualificado. Tempo e dinheiro são ativos preciosos que escorrem pelas mãos dos generais.
Além dos cinco graduados, dois tenentes-coronéis aviadores pediram baixa proporcional antecipada e permanecerão na reserva. Eles foram seduzidos pelo doce canto da sereia capitalista e vão direcionar sua mão de obra para a aviação privada, onde ganharão R$ 11 mil e R$ 15 mil, respectivamente.
O irônico é que eles estavam a poucos passos de alcançar o coronelato. Assim que atingissem o posto seriam agraciados com R$ 300 de aumento. Agora, ambos vão pilotar helicópteros transportando engenheiros e técnicos da cadeia do petróleo e gás. Foram mais de 20 anos de dedicação à Força Aérea, mas os ventos mudaram.(R. A.)
Força Militar (O Dia)/montedo.com

Skip to content