Escolha uma Página
O antecessor do general na APO foi o ex-ministro das Cidades Márcio Fortes, que foi exonerado do cargo em agosto após entregar carta de demissão à presidentE Dilma Rousseff

Agência Brasil
O general Fernando Azevedo e Silva, indicado pela Presidência da República para presidir a Autoridade Pública Olímpica (APO), tem o perfil profissional e técnico que é necessário ao órgão. A afirmação foi feita nesta sexta-feira (4) pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, durante cerimônia de concessão de bolsas a atletas de vôlei de praia, no Rio de Janeiro.
O general Azevedo e Silva é diretor do Departamento do Desporto Militar do Ministério da Defesa e integra o Conselho Nacional de Esporte. Em 2011, durante os 5º Jogos Mundiais Militares, no Rio de Janeiro, ele esteve à frente da Comissão de Desportos do Exército e foi nomeado, em seguida, presidente da Comissão Desportiva Militar do Brasil. Por três anos, ele comandou o Centro de Capacitação Física do Exército, no Rio de Janeiro.

Leia também:
General da ativa do Exército assume Autoridade Pública Olímpica

“A Olimpíada tem muita autoridade política. Tem um conselhão, presidido pela Presidência da República, com a participação do Ministério do Esporte, do governador, do prefeito. O general Fernando teve uma participação importante na preparação da equipe brasileira para os Jogos Mundiais Militares. Acho que ele vai ajudar muito a APO com um perfil mais profissional e mais técnico”, disse Rebelo.
O antecessor do general na APO foi o ex-ministro das Cidades Márcio Fortes, que foi exonerado do cargo em agosto após entregar carta de demissão à presidentE Dilma Rousseff no início daquele mês. Seu nome havia sido aprovado pelo Senado para um mandato de quatro anos. A APO é um consórcio criado para integrar os esforços dos governo federal, estadual e municipal do Rio de Janeiro na preparação para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2016.
PANORAMABRASIL/montedo.com
Skip to content