Escolha uma Página
Câmara instaura processo para investigar soco dado por deputado em senador
Conselho de Ética investigará Jair Bolsonaro (PP-RJ) por quebra de decoro por suposta agressão
Comissão da Verdade e Justiça visita as antigas instalações do Doi-Codi, em quartel do Exército na Tijuca. Na foto, deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), que acabou entrando com a comissão, discute com o senador Randolf Rodrigues (Psol-AP). (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo)
Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) discute com o senador Randolfe Rodrigues na entrada da Comissão da Verdade do Senado no prédio do antido DOI-Codi (Psol-AP). (Foto: Márcia Foletto/Agência O Globo)
O presidente do Conselho de Ética da Câmara, deputado Ricardo Izar (PSD-SP), instaurou na quarta-feira processo envolvendo o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) por quebra de decoro.
O parlamentar é acusado de ter agredido com um soco na barriga o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), na última segunda-feira, durante visita de deputados e senadores à antiga sede do Destacamento de Operações de Informações-Centro de Defesa Interna (DOI-Codi), no 1º Batalhão de Polícia do Exército, no Rio de Janeiro.

Leia também:
Bolsonaro troca empurrões com senadores em visita ao antigo DOI-CODI no Rio

Após confusão, Bolsonaro deve ser processado por quebra de decoro

Durante a reunião do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar, Ricardo Izar sorteou os deputados Sérgio Moraes (PDT-RS), Izalci (PSDB-DF) e Zequinha Marinho (PSC-PA). Ele vai conversar com os três sorteados para definir quem relatará o processo preliminarmente.
O relator elaborará o parecer baseado nos documentos da representação. Ele poderá recomendar o arquivamento da representação ou a continuidade das investigações. Caberá ao plenário do conselho, decidir sobre o parecer preliminar a ser apresentado pelo relator.
A representação contra o parlamentar fluminense foi apresentada terça-feira pelo PSOL ao Conselho de Ética, com a justificativa de que o deputado extrapolou todos os limites do decoro parlamentar ao agredir um senador. Na própria segunda-feira, Bolsonaro negou ter dado o soco em Randolfe Rodrigues e disse que tudo não passou de um empurra-empurra com troca de acusações.
AGÊNCIA BRASIL/montedo.com
Skip to content