Escolha uma Página

Porto Velho – Rondônia: O índio Daniel, 18 anos, pertencente à Aldeia Karipuna, desaparecido desde o dia 17 de setembro, foi localizado no dia 21, na Floresta Nacional do Bom Futuro, região de Rondônia, por tropa do Exército Brasileiro, por solicitação da FUNAI.
No dia 19 de setembro, após receberem a ordem de resgate, cerca de 30 militares, comandados pelo 1º Tenente Anderson de Souza Coelho, pertencentes à 3ª Companhia do 54º Batalhão de Infantaria de Selva, sediada em Porto Velho-RO, partiram numa missão de resgate equipados com bússolas, GPS, equipamentos de primeiros socorros e muito profissionalismo e espírito de cumprimento do dever, no intuito de localizar e resgatar o indígena.
Para o deslocamento motorizado foram empregados 05 veículos, incluindo uma viatura ambulância. Os militares percorreram, a partir de Porto Velho, 186 quilômetros até chegarem ao ponto de início do vasculhamento. O primeiro desafio foi justamente as estradas enlameadas e as pontes caídas do trajeto, desafio este que foi vencido a partir da junção de esforços do Exército com os indígenas que acompanhavam a tarefa. Apesar das avarias sofridas pelos veículos, tendo em vista as difíceis condições das estradas, a missão pode prosseguir dentro do Plano de Busca e Resgate estabelecido.
O vasculhamento foi realizado por três equipes, uma fluvial e duas por terra. Numa tentativa de chamar a atenção do indígena perdido e atraí-lo, as equipes de busca utilizavam silvos de apito, tiros de festim e batidas nas raízes da sapopemba, árvore conhecida como o “tambor da selva”. A integração dos militares, com suas técnicas de orientação e equipamentos de posicionamento global, com os indígenas, possuidores do conhecimento das matas, tais como, o rastreamento pela observação dos galhos quebrados pela passagem de pessoas, foi o que garantiu o sucesso da missão, permitindo encontrar Daniel ainda no dia 21 de setembro, às 14:30 horas.
Ele foi encontrado em bom estado, porém desgastado e com ferimentos nos pés. O mesmo recebeu os primeiros socorros e foi transportado em maca por cerca de 12 quilômetros.
Os militares levaram o índio de volta à sua Aldeia onde foi atendido e medicado pela enfermeira local. A família de Daniel mostrou-se extremamente agradecida em ver seu filho são e salvo, o que, por si só, para aqueles de Braço Forte e de Mão Amiga do Exército Brasileiro, já valeu o esforço da empreitada.
rondonoticias/montedo.com
Skip to content