Escolha uma Página
Suzana Liskaukas e Pedro Costa
Cobertura Especial RioInfo 2013

O Instituto Militar de Engenharia está desenvolvendo uma série de pesquisas em IoT, também conhecido como Internet das Coisas. São projetos de robótica desenvolvidos para facilitar o dia a dia das pessoas em diversos ambientes. Na Pós-Graduação de Engenharia de Defesa do IME, os projetos de IoT vão desde revoluções para o ambiente doméstico até um time de futebol formado por robôs capaz de surpreender o adversário com recursos de inteligência artificial.
O engenheiro Paulo Rosa, que coordena os projetos de Robótica no curso de Pós-Graduação em Engenheira de Defesa do Instituto Militar de Engenheira, apresentou durante o Rio Info 2013 projetos criados por alunos dos cursos de mestrado e doutorado que usam a inteligência artificial para tornar o dia a dia dos humanos mais produtivo. Um deles aplica os recursos da robótica no ambiente residencial. A meta é ter um lar inteligente, capaz de adaptar os ambientes de acordo com as preferências dos moradores.
Ao identificar as características dos passos, o sistema reconhece as caraterísticas de cada morador e relaciona essas informações a outras preferências do indivíduo, como a temperatura e a luminosidade de sua preferência em cômodos da casa. “Para evitar elementos invasivos no ambiente doméstico, desenvolvemos uma aplicação que capta a identidade do morador pelas características dos passos. O projeto já registrou 97% de acerto no reconhecimento”, diz Rosa.
A próxima etapa é aprimorar este sistema de identificação e mesclar com recursos de SLAM, ou sistema de Localização e Mapeamento Simultâneos. Trata-se de uma técnica usada por robôs e veículos autônomos para mapear um ambiente enquanto se localiza. A proposta é criar um robô capaz de encontrar objetos espalhados pela residência e leva-los até quem os procura.
Veículos aéreos não tripulados (VANT) também fazem parte das pesquisas em desenvolvimento no IME. Estes veículos podem prestar diversos tipos de serviços ao enviar imagens áreas em tempo real. Mas um dos grandes gols do time do IME é a formação de uma equipe de futebol constituída apenas por robôs. Há três anos, os robôs atletas entram em campo para fazer gol. Já participaram inclusive de campeonatos internacionais, em que o atual campeão é o time da Carnegie Mellon University (http://www.cmu.edu/about/index.shtml).
Em dezembro os robôs bons de bola do IME participarão de um desafio com o atual campeão brasileiro, o time da FEI (Faculdade de Engenharia Industrial), de São Bernardo do Campo (SP). Os desafios dos robôs jogadores de futebol de todas as procedências alcançarão o ápice em 2050, quando a comunidade científica imagina que um time de robôs estará apto a vencer a seleção campeã de futebol da Copa do Mundo.
Saiba mais sobre os projetos de IoT do IME nesta entrevista com o Professor Paulo Rosa:


Convergência Digital/montedo.com

Skip to content