País está “na infância” em segurança cibernética, diz Amorim

O sistema brasileiro é particularmente frágil porque os programas de segurança são todos estrangeiros
O novo ministro da Defesa, Celso Amorim, fala durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto
Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
Lu Aiko Otta, do Estadão
O novo ministro da Defesa, Celso Amorim, fala durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto
“As vulnerabilidades existem e são muitas”. Amorim ressalvou, por outro lado, que o Brasil não está sozinho nessa situação
Brasília – O Brasil está “na infância” em temas como segurança cibernética, admitiu nesta quarta-feira o ministro da Defesa, Celso Amorim, em reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado.
“As vulnerabilidades existem e são muitas.” Amorim ressalvou, por outro lado, que o Brasil não está sozinho nessa situação.
“Meu computador, por exemplo, eu aperto um botão e ele deve ligar 

direto na Microsoft. E sou ministro da Defesa.”

O próprio secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, disse, reconheceu o risco de o país viver um “Pearl Harbor cibernético”, em referência ao ataque que foi uma operação aeronaval à base norte-americana, efetuada pela Marinha Imperial Japonesa na manhã de 7 de Dezembro de 1941.
Países europeus, como a Alemanha, foram igualmente pegos de surpresa pela dimensão do suposto monitoramento dos dados. O sistema brasileiro é particularmente frágil porque os programas de segurança são todos estrangeiros.
“Meu computador, por exemplo, eu aperto um botão e ele deve ligar direto na Microsoft”, afirmou. “E sou ministro da Defesa.”
Ele defende o desenvolvimento de equipamentos e programas nacionais. O país é vulnerável também porque todas as comunicações, “inclusive as de Defesa”, passam por um satélite que não é do país. “Isso torna mais frágil a segurança”, afirmou. O governo prepara a montagem de um satélite geoestacionário brasileiro. “É prioridade da Defesa, inclusive porque ela terá uma faixa própria”, declarou.
Exame/montedo.com

9 respostas

  1. Como um profissional, a essa altura da idade, se dispõe a cumprir um papel desses? Ser instrumento de ideologia sociopata governamental… É muita falta de amor próprio!

  2. Alguém por gentileza avise a esse senhor que não é só na segurança cibernética que a defesa do país se encontra "na infância". O tratamento dispensado aos militares neste país é um inconteste indicador de que, no quesito "segurança da nação", não há nem mesmo gravidez, quanto mais "infância".

  3. Estamos na infância em várias áreas e não sairemos dela tão cedo, nem mil Freuds resolverão o problema, e nas setores de tecnologia ficaremos durante muito tempo dependentes de outras Nações, os recursos destinados à pesquisa no Brasil são ridículos !

  4. Finalmente alguém que fala a verdade. Se fosse outro, como alguns que o antecederam, diria "estamos preparados, na selva eles vão ver o que é bom". Só não se esqueçam de que país é o SIVAM/SIPAM. Bando de demagogos sonhadores.

  5. Esse governo nem se pode qualificar como infantil, pois infância remete à pureza. É um governo delinquente. "Nunca antes na história desse país" se viu tanta gente mal intencionada reunida. Ou se muda o rumo desse barco AGORA, ou vamos nos transformar em mais uma ditadura bolivariana, onde até mesmo a maneira de se referir à Presidente é imposta. Não há traço mais marcante do que ver todos os integrantes do governo e militantes do PT repetindo o termo "Presidenta", com uma submissão e um receio da ditadora chefe maior do partidão.

  6. Prezado amigo Montedo, vou publicar aqui um assunto não pertinente à reportagem acima, ela versa sobre o concurso para ingresso de médicos no EB. Veja bem, será se vai aparecer algum candidato a medico para o concurso para receber mensalmente os míseros R$ 5.100 que o EB quer pagar? Em um momento que a grande maioria dos médicos ganham acima de R$ 15.000 em qualquer prefeiturazinha… É isso, só para refletir…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo