Jornada Mundial da Juventude: temor de novos tumultos faz aumentar o número de militares na segurança do Papa

Militares na segurança do papa já são quase 10 mil
As manifestações das últimas semanas levaram a coordenação de segurança da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) a aumentar o efetivo de militares que vai cuidar da segurança do papa Francisco a partir do dia 23.
Como a reportagem publicou no sábado, os protestos causaram preocupação entre os responsáveis pela proteção ao pontífice. O número de militares sobe de 8.500 para 9.700 –desse total, 7.400 são do Exército.
Dois caças (um F-5 e um Supertucano) ficarão de prontidão para o caso da necessidade de interceptação de uma aeronave.
A Polícia Militar ainda não fechou o planejamento mas o número de PMs envolvidos no evento deve chegar a 6.500.
Enquanto conclui o seu plano, a PM já decidiu interromper folgas, férias e licenças dos policiais. Todos eles estão cumprindo jornadas de 12h. A medida iniciada na Copa das Confederações foi mantida nessa semana de manifestações e deve chegar à JMJ.
Em pelo menos uma reunião na semana passada, os responsáveis pela inteligência na Polícia Federal e nas Forças Armadas se mostraram preocupados com alguns pontos da agenda, como também com os deslocamentos do papa pela cidade.
Teme-se que pessoas se infiltrem entre os peregrinos para gerar pânico na multidão. Principalmente nas missas que serão celebradas em Copacabana, na zona sul, e em Guaratiba, na zona oeste.
ANJornal Floripa/montedo.com

3 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo