Ágata 7: acidente com viatura do Exército deixa duas vítimas fatais no RS

Atualização: 14h30min
Nota do editor: Conforme o blog informou com exclusividade, os militares são do 18º BIMtz, de Sapucaia do Sul (RS)
Os militares mortos são Maicon Santos da Silva (19) e Elton Vinícius da Rosa Leote (22)

Veículo do Exército capota e dois militares morrem na BR-471, perto do Taim
Outros seis feridos são atendidos na Santa Casa de Rio Grande, sendo dois em estado grave

Veículo do Exército capota e dois militares morrem na BR-471, perto do Taim Lucia Maciel/Especial
Picape capotou por volta das 8h deste domingoFoto: Lucia Maciel / Especial

Um veículo do Exército capotou na BR-471, no km 518, entre Rio Grande e a Reserva Ecológica do Taim, por volta das 8h deste domingo. Dois militares morreram no acidente, segundo o tenente-coronel Rubem Mendes da Costa Neto, assessor de Comunicação da Operação Ágata no sul do Brasil. Além das vítimas fatais, sete pessoas ficaram feridas e seis são atendidas na Santa Casa do Rio Grande. Dois militares sofreram traumatismo craniano e estão em estado grave e os outros quatro têm lesões e múltiplas fraturas.
O comboio, que incluía dois caminhões e uma Marruá, espécie de picape com cabine estendida, ia de Rio Grande para o Chuí. O veículo acidentado, que pertence ao 18º Batalhão de Infantaria Motorizado, com sede em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana, seguia com nove militares. Morreram o motorista e um tripulante que estava na carroceria.

Foto: Lucia Maciel, Especial 

No local, há marcas de freagem no asfalto e manchas de óleo deixados pela viatura. O veículo tombou no lado direito da rodovia e capotou por motivo ainda desconhecido.
O assessor do Exército informou que ainda não se sabe com precisão o número de feridos no acidente. Ainda não há confirmação dos nomes dos mortos.
O grupo trabalha na Operação Ágata 7, que abrange toda a fronteira brasileira com os dez países sul-americanos e inclui 25 mil militares e agentes das polícias federal, rodoviária federal, militar e de agências governamentais. É a maior mobilização já realizada pelo governo brasileiro no combate aos ilícitos entre Oiapoque (AP) e Chuí (RS). Durante a mobilização, militares trabalham para combater os principais crimes transfronteiriços como narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração e garimpo ilegais.
ZERO HORA/montedo.com

Nota oficial do Exército

O Comando da Área de Operações Sul lamenta informar que, nesta data, no contexto da Operação ÁGATA 7, uma viatura Marruá, do 18º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército Brasileiro, sofreu um grave acidente, provocando a morte de 02 (dois) militares e ferindo outros 7 (sete). O acidente ocorreu na Rodovia BR 471, entre os municípios de Rio Grande-RS e Santa Vitória do Palmar-RS, nas imediações do Km 517.
A Polícia Rodoviária Federal atendeu a ocorrência e os militares feridos foram evacuados para o Hospital da Santa Casa de Misericórdia da cidade de Rio Grande-RS pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e pela Empresa Concessionária de Rodovias do Sul (ECOSUL). Três feridos encontram-se em estado grave.
O Comando do 18° Batalhão de Infantaria Motorizado, sediado na cidade de Sapucaia do Sul-RS, vai instaurar Inquérito Policial Militar (IPM) para apuração dos fatos e suas circunstâncias.
O Comando Militar do Sul, consternado e imbuído do mais alto sentimento de solidariedade, está prestando todo o apoio necessário às famílias dos militares envolvidos no acidente.Outras informações poderão ser obtidas com a Seção de Comunicação Social do Comando da Área de Operações Sul pelos telefones (51) 3220-6413, (51) 32206657 e (61) 81243795, que continua acompanhando a evolução dos fatos. 

Atenciosamente, SEÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO COMANDO DA ÁREA DE OPERAÇÕES SUL EXÉRCITO BRASILEIRO BRAÇO FORTE – MÃO AMIGA

18 respostas

  1. Não sei as condições do caminhão tombado mas sei que já de muito tempo os equipamentos e militares estão sucateados nas FFAAs. Essas operações mostram as perdas, infelizmente,de vidas humanas, principalmente garotos.

  2. As vítimas foram identificadas como Maicon Santos da Silva, de 19 anos, e Elton Vinicius Rosa Leote, de 22. é lamentável o fato ocorrido, meus sentimentos pela familia desses militares.

  3. As Marruá que estão rodando são novas. O problema é que a maioria dos veículos militarizados têm um limite de estabilidade que decai com o aumento da velocidade… Naturalmente, a investigação irá determinar as outras razões desse trágico evento. Infelizmente, isso prova o risco constante – agravado por imprudências – a que os militares estão submetidos, mesmo com operações em tempo de paz como é o caso dessa Ágata.

  4. É lamentável que aconteça isso. Mas é sempre uma tragédia anunciada essas operações. Viaturas sucateadas sem a menor condição de trafegar, sem a manutenção devida, material e pessoal colocados na mesma viatura, excesso de pessoal distribuido nas Vtr. Como pode um deslocamento de Sapucaia até o Chuí em uma Marruá, sem cinto de segurança, conforto e com oito militares mais seu material individual.

  5. Que perda lamentável,jovens na flor da idade.Quem era o responsável pelo comboio? quem era o chefe de viatura? quem são os responsáveis por estas lastimáveis perdas? ou na hora de assumir responsabilidades,e é para isso que são pagos, se econdem, desaparecem ou dão desculpas esfarrapadas.Lamento pelos jovens, que Deus os tenha junto a Ele.

  6. Para melhor informação dos leitores, os dois marruás não sairam de Sapucaia para o chuí. Saíram do Chuí para a reserva do Taim. Os militares já estavam em operação no chuí há uma semana, e foram até lá em ônibus do exército, eles não fazem longas viagens sem segurança.

  7. Independente de eles já estarem na região de Rio Grande, uma coisa temos que concordar: não há segurança alguma nessas viagens de Vtr, sejam elas de 5 ton, 3/4 ton, etc. Os militares que deslocam-se nas carrocerias não possuem cinto de segurança e ainda ocorre de dividirem espaço com materiais… uma afronta ao normas de trânsito, caracterizando imprudência e negligência.

  8. A viatura é nova, mas a formação da QM 10-55 deixa a desejar em todos os quartéis do Brasil. Eu vi muito acidente com Land Rover pq ligavam o block em estradas de lama, mas quando seguiam para uma estrada asfaltada esqueciam de desligar, e capotavam a viatura na primeira curva, pois as rodas mantinham-se girando por igual, similar ao que aconteceu com o cantor Leonardo alguns anos atrás quando voltava de uma pescaria.
    Faça um teste: quando estiver como chefe de viatura, pergunte ao motorista para quê serve o 4×2, 4×4 L e H, o que é "block"…se um motorista em mil souber explicar direito eu peço reserva hoje!

  9. Que pena que duas vidas das jovens se foram ,creio que pelo estado que se encontra o pneu na foto ,ja deixa claro o estado que deveria estar a viatura ,chega de ver o nosso querido exercito sendo dia a apos dia sucateado pelo descasso dos governandes é lamentavel

  10. É impressionante como numa tragedia dessas.sempre aparecem os recalcados para falar do que não sabem.
    Se escondem no anonmato pra criticar.
    Olha só o que falam:
    1. viatura sucateada: elas são novas e com Mnt regular
    2. Viagem sapucaia-chui: os militares ja estavam na região
    3. Excesso de pessoal: O nr de passageiros é compatível.
    Fatalidades ocorrem e não se aproveitem disso pra detonar nosso EB neste momento, covardes.
    Vão procurar sua turma e desapareçam do EB, todos os verdadeiros ilitares agradecem.

  11. Para conhecimento, viaturas operacionais estão dispensadas do uso do cinto de segurança, conforme resolução 279/2008, do CONTRAN. Eu não concordo com isso (viatura militar bate igual outra qualquer), mas não estarem usando cinto de segurança não é infringir as normas previstas. Quanto à Vtr Marruá, é relativamente nova (2008 vieram as primeiras). Faço IT frequentemente, e tenho uma suposição: se a Vtr for de 2009, pneu fabricado em 2008, este venceu ou está por vencer logo (validade=5anos), ficando ressecado e perigoso de usar. Uma vez fiz um IT em que faleceu um soldado pelo motivo de o pneu dianteiro furar bem numa curva. Pela foto do pneu, novo não é, e tá no fim da vida útil. Apenas uma suposição.

  12. Bom pelo pouco q conheço este tipo de viaturas é muito instável e exige muita pericia do condutor porem por sua vez estes condutores ou motoristas passam horas e horas sem divido descanso, sedo submetidos a dirigir por horas e ficar de prontidão plena em todo exercício, dai concluo:
    Viatura instável sem manutenção de qualidade + motorista cansado= acidente na certa lamentavelmente….

  13. Quem assinará o Inquérito Técnico (IT) ? O Sargento com formação em mecânica na EsLog, cujo curso não equipara-o à técnico? Alguém já parou para pensar que os cursos ministrados na Eslog nas áreas técnicas não habilitam os militares a terem registro nos Conselhos Técnicos Profissionais?Como poderá então um militar Mec Auto ou Mnt Com assinar um IT se ambos os cursos não possuem reconhecimento alguma perante os órgãos de fiscalização profissional? É um caso a se pensar então se há legalidade nos laudos e outros documentos assinados por militares NÃO TÉCNICOS, no sentido formal. O mesmo não ocorre com o pessoal da área de saúde, que já chega formado e devem possuir o registro no respectivo COREN (Conselho Regional de Enfermagem). Engraçado, né, um pequeno detalhe que há anos ninguém nunca parou para pensar!

  14. essa historia ta mt mal contada, falta d manutençao, imperícia ou imprudencia por parte de autoridades maiores? que Deus abençoe esses nossos irmaos de farda, e dê forças as suas familias…

  15. Realmente foi lamentável o fato ocorrido no último domingo. Concordo em parte com alguns comentários postados aqui, pois foram feitos com embasamento na legislação vigente e com algum conhecimento técnico de como funciona uma vtr militar. Os demais, como outro comentário postado acima lembrou, foram apenas alguns oportunistas de plantão que esperam uma tragédia acontecer pra dizer: "Viu só! Eu falei que isso iria acontecer; Quem é o responsável por isso; Só pode ser negligência-imprudência-imperícia; O culpado é o motorista"; etc.
    Comentários que não contribuem em nada, pois no dia-a-dia do quartel esses mesmos oportunistas quando tem uma possibilidade de mudar alguma coisa que está errada, são omissos e não fazem nada para melhorar o andamento dos trabalhos na caserna.
    Quanto ao acidente, até o presente momento, ninguém pode provar o que realmente causou o acidente (um IPM deve ser aberto nos próximos dias para apurar os fatos), mas uma coisa é certa, o Cmt do CMS não foi o culpado. A primeira coisa que ele fez quando foi perguntado em entrevista, foi dizer que ele mandou que utilizassem o cinto (não sabe ele, mas deveria saber, que não há obrigatoriedade do uso do cinto de segurança na parte traseira de viaturas de uso bélico, conforme foi mencionado em comentário anterior de um colega que provavelmente deva servir em um B Log). Não podia esperar outra coisa do nosso General. Na primeira oportunidade, já tirou o seu .. da reta, os outros que se f…. Também não concordo que essas viaturas sejam desobrigadas do uso do cinto de segurança, também não posso agora responsabilizar o motorista, o chefe de viatura, o responsável da garagem ou o mecânico, isso é uma covardia. Se é assim, tenho que responsabilizar toda a cadeia de comando, do pobre motorista, passando pelo Cmt da OM, por aquele General que tirou o corpo fora e que nem sabe da legislação existente sobre o uso do cinto de segurança (algum cordinha assessor que deveria prestar informações úteis ao "velhinho", mas ao invés disso, fica o dia todo puxando o saco), até quem aprovou a resolução do Contran que permite tal prática.
    Quanto aos nossos colegas de farda vitimados no acidente, que descansem em paz e que seus familiares sejam assistidos pelo EB da melhor maneira possível e não apenas entregando "uma bandeira" no lugar dos seus filhos que partiram. Quanto aos demais, que se recuperem o mais rápido possível.

  16. é muito triste o que aconteceu sou do exercito também 28º batalhão logístico- Dourados-Ms Deus sabe oque faz. etáremos orando por eles a família

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo