Seleção brasileira vai treinar na EsEFEx. De graça.

Uso da Escola do Exército é de graça para a parceira CBF
Felipão e Parreira foram ao local onde equipe começa preparação para Copa das Confederações

O Unilever, do técnico Bernardinho, campeão da Superliga feminina de vôlei, e o Fluminense treinam na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), na Urca, zona sul do Rio de Janeiro. E ambos têm de pagar por isso. Mas, para a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), “parceira histórica do Exército”, como definiram nesta terça-feira militares e a comissão técnica da seleção brasileira, o uso das instalações é de graça.
A seleção, que será convocada para a Copa das Confederações na próxima terça-feira, vai se apresentar no dia 27 e, dois dias depois, começará a treinar na EsEFEx (mesmo local de parte da preparação para a Olimpíada de Londres, em 2012) para o jogo contra a Inglaterra, em 2 de junho, na reinauguração do Maracanã. Exército e CBF confirmaram que não haverá pagamento de compensação financeira pelos três dias de uso. “O Unilever paga R$ 8 mil por mês para treinar no ginásio, e o Fluminense R$ 3 mil por treino no campo”.
Nesta terça, o técnico da seleção, Luiz Felipe Scolari, e o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira assinaram na EsEFEx o termo de permissão de uso do campo e dos vestiários. No local da solenidade, uma faixa: “Exército Brasileiro e CBF: presenças marcantes nos campos da Glória. Mais de 40 anos de parceria”. Acompanhando Felipão e Parreira, estavam o auxiliar Flávio Murtosa e o chefe de segurança da seleção, o coronel Haroldo Castelo Branco.
“Essa parceria já existe há muito tempo, desde a Copa de 1970”, disse o general de brigada Décio Brasil, presidente da Comissão de Desportos do Exército. “Para a CBF, é um orgulho muito grande retornar à casa que nos acolheu tão bem em 1969, um lugar que nos dá sorte”, completou Parreira.
Não é só a CBF que tem boa relação com o Exército. Em 2016, a EsEFEx será a casa do “Time Brasil” antes e durante os Jogos do Rio, como fez o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) no Crystal Palace, em Londres, no ano passado.
ATRASO
Durante o evento, Felipão mostrou preocupação com o entorno do Maracanã, ainda em reforma. “O Maracanã está legal, desde que realmente terminem aquelas obras ao redor. Não sei se vai estar totalmente pronto até o dia 2.”
Estadão, via Cidade Verde/montedo.com

4 respostas

  1. Eh, que beleza! Cambada de mercenários!!! Enquanto nadam nos milhões, ainda aparece trouxas desdentados para aplaudi-los. Tomara que tomem um vareio, principalmente na Copa do Mundo. Nunca torci tanto para que aconteça o maior fiasco da história do futebol mundial.

  2. Concordo com o comentário acima (22:04) nunca torci tanto para a seleção brasileira se ferrar. Quanto ao Exército, onde está o TCU, a CGU e o MPU que não apuram esse desperdício de dinheiro público, ou vocês acham que os gastos com luz, água e manutenção não sairam do bolso do contribuinte?

  3. A CBF está cheia de milicos da reserva, a maioria oriunda da área de educação física; eles têm que dar retorno…como sempre, usando da influência que ainda têm no Exército.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo