Militares canadenses treinam em Cuiabá para missão no Haiti

Canadenses se unem a exército do Brasil em Cuiabá para missão de paz
Pelotão integrará forças para atuar em nome da ONU no Haiti.
É a primeira vez que as Forças Armadas brasileiras e canadenses de unem.

Renê Dióz
Avião do exército canadense pousou na tarde deste sábado (13) em Várzea Grande. (Foto: 18º Contingente Brasileiro (BRABAT 18))
Avião do exército canadense pousou na tarde deste sábado (13) em Várzea Grande. (Foto: 18º Contingente Brasileiro (BRABAT 18))
Um pelotão com 39 soldados canadenses desembarcou no aeroporto de Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá, na tarde deste sábado (13) para integrar operação militar conjunta com o Exército Brasileiro no Haiti. Esta cooperação em nome da Organização das Nações Unidas (ONU) é a primeira oportunidade na história em que tropas brasileiras e canadenses atuam juntas.
Os soldados canadenses vão ficar alojados no 44° Batalhão de Infantaria Motorizado, em Cuiabá, e devem passar por três semanas de preparação antes de embarcar para o Haiti, um dos países mais pobres do mundo e que ainda tenta assegurar a ordem e equilíbrio político desde a deposição do presidente Jean Bertrand-Aristide em 2004.
As forças militares designadas pela ONU para este trabalho são denominadas Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah). Além dos canadenses e brasileiros (856 do Exército, 244 da Marinha e 34 da Força Aérea Brasileira), o grupo que se prepara para embarcar é formado por 31 paraguaios e um boliviano. Dos 856 militares do Exército Brasileiro, 224 são de Mato Grosso (144 de Cuiabá) e 499 são de Mato Grosso do Sul.
Pelotão canadense passará por preparação junto a militares brasileiros antes de embarcar para o Haiti (Foto: 18º Contingente Brasileiro (BRABAT 18))
Pelotão canadense passará por preparação junto a militares brasileiros antes de embarcar para o Haiti (Foto: 18º Contingente Brasileiro (BRABAT 18))
Como parte da preparação, eles devem treinar tiros com armas não-letais, simulações de desastres naturais (o Haiti passou por um dos seus piores terremotos em 2010), primeiros socorros e atendimento pré-hospitalar e estudo do creole, idioma oficial do Haiti ao lado do francês.
Os militares devem finalmente embarcar para o país na segunda quinzena de maio. Mais de 20 mil soldados brasileiros já participaram da missão de paz.
G1/montedo.com

10 respostas

  1. que vergonha só de saber que eles vão ficar alojados num qtel do EB, conhecer as nossas instalações… e o nosso rancho…

    eles vão sentir pena de nós…

  2. RRSSS, pior que é verdade. ainda mais agora que teremos a sexta-feira integral, vai ser carne moida 5 dias na semana.

    pra quem ainda não sabe, vai ser integral para o EB a partir do 2º semestre, maaaaas, aqui na 5ª RM já está integral para "testes"

    e pra quem não sabe o "motivo": aqui em Curitiba o CMT teve a coragem de dizer que era pq

    "O EB É O ÚNICO SETOR DO FUNCIONALISMO QUE TRABALHA SÓ 36 HORAS/SEMANA"

    ou seja, o Serviço de 24 horas não conta como trabalho, é de graça, voluntário, sei lá.

    E SEGUE O ENTERRO.

  3. Realmente é ridículo esse negócio de expediente as sextas-feiras, nós já ficávamos olhando para os tetos esburacados dos batalhões, agora que estamos ferrados, vai vai dar nem para fazer mais um biquinho ou estudar, estes "comandantes", são verdadeiros gênios, altamente operacionais. só mesmo nesse país maravilhoso, cada Exército possui o PT que merece.

  4. O esquema do meio aqui na 5ª RM é assim (documentou chegou quinta passada na minha OM): 1° semestre toda 2ª sexta-feira do mês é integral e as outras sextas continuam meio expediente e no 2° semestre todas as sextas são integrais.

  5. confirmo o que o anonimo de 22:41 disse. o diretor do parque 5 deu essa desculpa que "nós" fazemos apenas 36 horas, (oficiais não tiram serviço né?) mas ele disse que seria no CMS todo. alguem sabe informar se nos outros quarteis tá sendo tambem?

  6. Vergonha! Milico ganha pouco, verdade, mas daí achar que matar a sexta à tarde é bom. Cria vergonha na cara! Só trabalhamos 36 horas, isso quando não ficamos o dia todo matando expediente na cantina! Já faz tempo que isso deveria ter acabado.

  7. Expediente integral na sexta-feira??? Quero ver quando começar a doer no $$$ destinado ao rancho…e esse militar que falou que "trabalhamos 36 horas" só pode estar de sacanagem!!!! Creio que só ele trabalhe assim!!!! Não tirando serviço fica fácil pra ele!!!! Fico pensando naqueles que aproveitavam a sexta-feira a tarde pra estudar, fazer seus bicos, viajar (pra quem tem parentes próximos)… vai ser bucha!!!!! Não sei porque, mas isso só tende a acentuar a debanda do EP do EB, junto às exigências dos concursos públicos militares!!!!!! Quero ver no que vai dar isso…

  8. Militar no quartel dá prejuízo a união, todo mundo sabe que não produzimos nada, e quanto mais ficarmos nas OM, mais gastos estaremos dando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo