Escolha uma Página
Militar aposentado de MT quase cai no golpe do falso escritório de advocacia
Ele recebeu uma carta anunciando resgate de seguro no valor de R$ 59 mil.
Para receber o dinheiro era necessário depósito de R$ 6 mil para escritório.

Kelly Martins
Um militar aposentado que mora em Sinop, a 503 km de Cuiabá, quase caiu em um golpe aplicado por um falso escritório de advogados que promteu o resgate de valores pagos a título de seguro. Emerson Ribeiro, de 64 anos, contou ao G1 que recebeu uma correspondência da advocacia, com endereço da cidade de Osasco, São Paulo, informando-o sobre o recebimento de R$ 59,7 mil em decorrência de uma decisão judicial.
A carta encaminhada na última semana dizia que o dinheiro seria resultado de uma ação contra a antiga Caixa de Pecúlios, Pensões e Montepios Beneficente (Capemi). No entanto, para receber o dinheiro era necessário pagar as custas processuais no valor de R$ 6,6 mil ao escritório.
Esse tipo de golpe vem sendo aplicado por quadrilhas em várias localidades do país, e as vítimas preferenciais são militares aposentados que aguardam por processos na Justiça.

Leia também:
Pensionista do Exército cai em ‘golpe do FuSEx’ em São Paulo

“Inicialmente eu acreditei porque mencionava as instituições da década de 60 e que eu conhecia. Mas o sistema deixou de existir e pensei que realmente tinha algo a receber a título de previdência”, declarou. Emerson Ribeiro é medico e reservista do Exército do Rio de Janeiro há 30 anos.
Ele encaminhou a carta para uma advogada, que ligou nos telefones fornecidos pelo falso escritório. “Uma pessoa atendeu e pedimos o número do processo e da OAB da tal advogada que conseguiu a decisão. Porém, a atendente ficou nervosa e confusa ao falar conosco, quando desconfiamos que seria um golpe. O número do processo que ela forneceu não era relacionado com a correspondencia e também o número da OAB fornecido por ela dava inexistente”, disse o médico.
Por conta disso, Emerson foi até a delegacia e registrou um boletim de ocorrência por tentativa de extorsão. Segundo ele, a atitude é para evitar que outras pessoas sejam vítimas desse tipo de golpe, como já ocorreu em outras cidades.
A Polícia Judiciária Civil informou ao G1 que até o momento não há nenhuma investigação em Mato Grosso sobre esse tipo de golpe aplicado por quadrilhas especializadas. A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso (OAB-MT), também informou que não recebeu nenhuma denúncia sobre o caso.

G1 MT/montedo.com

Skip to content