Escolha uma Página
Carlos Augusto Fernandes dos Santos*
Não faz muito tempo, inúmeros ministros, chefes de pastas importantes da República, foram demitidos pela Presidente Dilma ROUSSEF, todos nomeados por ela no início do seu governo. Muitos deles , segundo informações divulgadas pela imprensa, herdados do governo anterior, por imposição do ex-presidente LULA. As irregularidades que motivaram a atitude extrema da Presidente foram esquecidas pela sociedade e continuam guardadas na lixeira do esquecimento, como se nada houvesse acontecido.
No início do mês de dezembro, o Caso Rosemary preencheu amplos espaços da imprensa do país, mostrando irregularidades ( nepotismo, favorecimento,….) cometidas pela chefe do escritório da Presidência da República , na cidade de São Paulo , que gozava de discutível intimidade e que , por longo tempo, secretariou o ex-presidente da República , em inúmeras viagens presidenciais. Tão graves foram os fatos apurados pela Polícia Federal que a presidente, não teve outra alternativa, senão demitir imediatamente os envolvidos em mais um escabroso caso. Inúmeros indivíduos foram indiciados e terão que responder na justiça pelos crimes cometidos.
Hoje, 17 de dezembro de 2012, o Supremo Tribunal Federal, encerrou o julgamento da Ação Penal 470, popularmente conhecida como MENSALÃO, proclamando a responsabilidade de governantes e políticos ligados à base governamental , da qual fazia parte, em cargo importante, a atual presidente . O Acórdão a ser publicado, divulgará as penas a que foram condenados os diferentes réus, todos ligados ou pertencentes aos partidos que apoiavam o governo LULA. Nenhum deles pertencia à medíocre oposição, que se mostra cada vez mais incompetente e incapaz que exercer sua necessária e importante função política.
Para surpresa dos cidadãos contrários a esse lastimável estado de coisas, ontem, os jornais do país divulgaram pesquisa com altos índices de aceitação dos dois governantes , mostrando que se a eleição de 2014 ocorresse agora, o ex-presidente e a atual mandatária, ou qualquer um deles, seria eleito no primeiro turno. Deduz-se da pesquisa , que para a maioria dos indivíduos consultados , não há qualquer responsabilidade de nenhum dos dois governantes ; parece até que a nomeação, as escolhas dos ministros e de todos aqueles que ocuparam os cargos governamentais e que foram sumariamente afastados , não são ou foram da responsabilidade dos presidentes que nos governam há dez anos. Só faltava o desplante de mantê-los nos cargos, diante das evidentes irregularidades.
O atual posicionamento de lideranças políticas ( de diferentes partidos da base aliada ), a notória arregimentação de militantes e suas declarações, tentando encobrir evidências , em operações coordenadas para abafar as irregularidades e outras com o intuito de desqualificar o resultado do julgamento recém concluído, mostram a face sombria da atual representação política que representa a vontade maciça da população brasileira.
Entristece constatar que a esperteza, o “vale-tudo” e a alienação estão impregnados no comportamento de compatriotas que não demonstram qualquer compromisso com a ética política. Perdemos o senso de julgamento e caminhamos, ao que tudo indica, celeremente para adoção do “PARTIDO ÚNICO”. Decência, honradez e todas as demais virtudes republicanas parecem não constar mais do dicionário de parcela expressiva do povo brasileiro . Será que chegamos ao fundo do poço?
*General Reformado
Skip to content