Escolha uma Página
Publicado originalmente as 18h47 de 28/11 (Atualizado: 0h de 1/12)


Ministério da Defesa faz simulação de ataque aéreo a navios no Rio
Marinha, Exército e FAB fizeram treinamento de 5 atividades nesta quarta.
Operação pretende melhorar proteção à Amazônia Azul e ao pré-sal.
Operação Atlântico III fez simulação de ataque a navios em alto-mar (Foto: Rodrigo Gorosito/ G1)
Operação Atlântico III fez simulação de ataque a navios em alto-mar (Foto: Rodrigo Gorosito/ G1)
Cinco atividades de simulação de ataque aéreo, que juntas formaram a Operação Atlântico III, aconteceram nesta quarta-feira (28) no Rio de Janeiro por profissionais da Marinha do Brasil, da Força Aérea Brasileira (FAB) e Exército. Aeronaves da FAB saíram da Base Aérea do Galeão, na Ilha do Governador, às 10h da manhã e jogaram uma bomba no Navio de Desembarque de Carro de Combate (NDCC) “Almirante Saboia”, que estava em alto-mar, a 80km de distância da costa. A ideia do Ministério da Defesa é melhorar a proteção à Amazônia Azul e ao prá-sal.
Se um navio de bandeira estrangeira estiver em águas brasileiras, para fazer alguma pesquisa, por exemplo, a Marinha tem como dever abordar a embarcação e pedir que interrompa as atividades. Na simulação desta quarta, o “grupo estrangeiro” não obedeceu ao pedido e um grupamento de mergulhadores desceu e invadiu o navio de fora do país. Este treinamento é chamado “incidente de proteção marítima”.
Dentro das atividades ainda tem um alvo inflável que fica posicionado em um determinado local como se fosse uma ameaça. Os militares treinam o chamado “tiro de superfície de alvo à deriva” para combater o inimigo.
O último treinamento desta quarta é chamado de transferência de carga leve, onde dois navios são emparelhados e suspensos para facilitar o atendimento médico a algum ferido em combate.
Treinamento da etapa "transferência de carga leve" (Foto: Rodrigo Gorosito/ G1)
Treinamento da etapa “transferência de carga leve” (Foto: Rodrigo Gorosito/ G1)
Segundo a primeira-tenente Juliana Prestes, a Operação Atlântico III serve para treinar as equipes para “estarem sempre aptas para proteger a Amazônia Azul e o pré-sal, além de ajudar na integração das três forças – Marinha, Força Aérea e Exército – que em situações de combate devem atuar juntas”. A operação foi finalizada às 15h desta quarta-feira.
G1/montedo.com


Vídeo: TV Brasil

Skip to content