Escolha uma Página
A atuação do Exército para garantir a votação no Estado do Rio de Janeiro no domingo foi encerrada tendo alcançado o objetivo de manter a segurança durante as eleições nas 22 comunidades e nas cinco cidades em que realizaram patrulhamento, de acordo com o último boletim divulgado pela assessoria da 1ª Divisão de Exército (1ª DE).
Cerca de 5.500 homens estiveram envolvidos nessa segunda fase da operação, concentrada na segurança das zonas eleitorais. Desses, 4.100 ficaram na Zona Oeste da capital Fluminense. Os militares atuaram em 881 locais de votação, englobando 6.655 seções eleitorais e mais de 2,5 milhões de eleitores.
O general de divisão, José Alberto da Costa Abreu, coordenou as tropas do Exército que patrulharam 22 comunidades da Zona Oeste da capital (Gardênia Azul, Muquiço, Piraquê, Vila Sapê, Vintém, Cosmos, Terreirão Asa Branca, Rio das Pedras, Vila Kennedy, Barbante, Anil, Tirol, Antares, Minha Deusa, Muzema, Jardim Maravilha, Coréia, Carobinha, Covanca, Caxangá, Sapo e Fumacê) e cinco municípios do interior fluminense (Macaé, Magé, Rio das Ostras, Itaboraí e Campos dos Goytacazes).
Durante a primeira fase da operação, os soldados deram suporte ao trabalho de fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE/RJ) nas comunidades da Zona Oeste do Rio.
Durante toda a operação, foram usados dois helicópteros e 379 viaturas, das quais dez veículos blindados. O patrulhamento foi acompanhado pelo Centro de Comando e Controle instalado na sede da 1ª DE, na Vila Militar, em Deodoro, com apoio do TRE/RJ, da Polícia Militar e da Polícia Civil, destaca o boletim.
Correio do Brasil/montedo.com
Skip to content