Escolha uma Página
O zoológico do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), em Manaus, possui 36 mil metros quadrados, abriga 285 animais de 56 espécies.
Em 1999, o local passou por uma reforma completa e foi ampliado em uma parceria do Exército, governo do Estado e Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa).
O objetivo do Zoológico é apresentar exemplares da fauna amazônica. Mamíferos, aves, répteis e quelônios fazem parte das espécies do zoológico. Animais raros, que só existem em cativeiro, como iraçu falso e mutum do nordeste também fazem parte das espécies. Há ainda bichos em risco de extinção como o macaco aranha do peito amarelo.
Os animais são entregues pela população ou pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ao zoológico do CIGS.
Alguns animais são reabilitados e devolvidos à natureza, mas quando isso não é possível, eles são criados em cativeiro. Mensalmente, são consumidas 15 toneladas de alimento, entre carne, frutas e hortaliças, pelos animais do zoológico.
Além de conhecer espécies da fauna amazônica, os visitantes podem visitar lojas de artesanato. As crianças também podem brincar no playground do zoológico. Um passeio pela trilha do CIGS é uma boa opção para quem gosta de caminhar.
O trajeto tem três itinerários distintos com cerca de 850 metros cada um. Andando pela trilha, o visitante passeia por dentro da floresta do CIGS, conhecendo espécies vegetais típicas da flora amazônica.
Durante o percurso, as principais plantas estão identificadas com placas nas quais estão escritos seus nomes populares e científicos. Mensalmente, seis mil pessoas visitam o zoológico do CIGS.
Em alguns meses, como em outubro quando é comemorado o Dia das Crianças, esse número pode subir para 30 mil. O horário de visitação é das 9h às 16h30, de domingo a terça-feira.
O ingresso custa R$ 2, para visitantes maiores de 12 anos.
Amazônia de A a Z/montedo.com
Skip to content