Escolha uma Página
Pentágono autoriza que soldados desfilem uniformizados em parada gay
Pela primeira vez na história dos EUA, oficiais conseguiram permissão para participarem fardados de um evento LGBT
Add caption
Após revogar uma lei de 1994 que proibia que homossexuais servissem em suas Forças Armadas, os EUA anunciaram mais uma medida inédita para a extensão de direitos civis à comunidade LGBT. Pela primeira vez na história militar do país, o Pentágono autorizou que soldados participassem da Parada do Orgulho Gay de San Diego vestidos com seus uniformes militares.
De acordo com a Associated Press, o Pentágono afirmou que a exceção valerá apenas para o próximo dia 21 de julho, data do evento. A justificativa é a de que, além de o evento “conseguir repercussão nacional”, os organizadores também “estimularam os oficiais a desfilarem com suas fardas”.
Dwayne Crenshaw, diretor executivo da associação Orgulho LGBT, de San Diego, conversou com o jornal USA Today e explicou que “a parada está orgulhosa de ter o privilégio de celebrar o país e seu serviço militar com dignidade e respeito”.
Embora recentes medidas do governo Obama em prol do respeito à diversidade sexual nos EUA façam Crenshaw considerar um “salto gigante na direção certa”, ele acha relevante lembrar que a “luta pela igualdade não acabou e não é fácil”.
No pedido, os organizadores da parada se dirigiram ao Pentágono e pediram o direito de oficiais comparecerem uniformizados desde que “garantam sua adesão aos padrões de aparência do Serviço Militar”.
Há um ano, Obama certificava a revogação de uma lei de 1994 que impedia aos soldados abertamente homossexuais de servir nas Forças Armadas do país.
“Demos um grande passo rumo ao fim da discriminatória lei ‘Don’t Ask, Don’t Tell’ (“Não pergunte, não conte”), que solapa o desempenho de nossos militares e viola os princípios norte-americanos de justiça e igualdade”, disse Obama na ocasião.
Esta é a primeira vez que o Pentágono consente oficialmente com o uso das fardas. Contudo, na época em que a lei “Don’t Ask, Don’t Tell” foi banida, oficiais homossexuais do Exército também se reuniram com camisetas das Forças Armadas para celebrar a decisão do governo.
Opera Mundi/montedo.com
Skip to content