Escolha uma Página
Ex-médico continua no Exército mesmo após ter registro cassado por abuso sexual em hospital
Foto: Divulgação/Arquivo CFM

O CMO (Comando Militar do Oeste) informou que não haverá nenhuma sanção ao agora ex-médico, major Marcus Vinicius Carreira Bentes, cassado pelo CFM (Conselho Federal de Medicina) nesta terça-feira (17). Ele perdeu o registro profissional por ter cometido abuso sexual no Hospital Militar de Campo Grande.

Em 2010, o CRM-MS (Conselho Regional de Medicina) já havia retirado o direito dele de exercer a medicina, mas o major recorreu ao órgão federal para barrar a punição maior.
Contudo, seu requerimento não surtiu efeito e o ato oficial de seu fim profissional foi publicado nesta quarta-feira (18), após cinco anos da denúncia por abuso, feita por uma paciente do hospital em 2007.

Leia também:
MAJOR MÉDICO CONDENADO POR ABUSO SEXUAL CUMPRE EXPEDIENTE ADMINISTRATIVO

STM CONDENA MAJOR-MÉDICO DO EXÉRCITO QUE ABUSAVA DE PACIENTES

MAJOR MÉDICO CONDENADO PELO STM TINHA HISTÓRICO DE ABUSOS CONTRA ESPOSAS E FILHAS DE SARGENTOS

Conforme o CMO, o major continuará normalmente nas fileiras do Exército e com a patente, sendo apenas retirado do hospital.
“Ele será transferido para funções administrativas dentro do Exército. Atualmente, ele ainda trabalhava como médico, no Regimento de Cavalaria Blindado, atendendo somente militares do sexo masculino. Sem o registro profissional não tem função oficial na área. Mas segue como major do Exército”, informou a assessoria do CMO.
Capital News/montedo.com
Skip to content