Escolha uma Página
Vários militares das Forças Armadas entraram em contato com os senadores da República, solicitando sua atenção para o problema salarial da categoria. Na quarta-feira (14) o Senador Paulo Paim (PT-RS) abordou o assunto da tribuna. Ele usou uma das várias mensagens que recebeu como base para seu discurso. Confira mais dois textos enviados, respectivamente, por um tenente QAO R/1 e um segundo sargento da ativa, ambos do Exército (não os identifico por motivos óbvios). Mais abaixo, você lê a resposta do senador:
Mensagem 1

SITUAÇÃO SALARIALDA FORÇAS ARMADAS
Senhores senadores, os militares das forças armadas do Brasil empreenderam nestes últimos dias uma “marcha virtual” por uma revisão salarial responsável. Foram mais de 350.000 (trezentos e cinquenta mil) assinaturas em pouco mais de sete dias, o que demonstra o interesse e, sobr tudo, a necessidade dos integrantes das FFAA em obterem a atenção das instituições governantes. Não contamos, infelizmente, com a simpatia do governo federal à nossa causa, por isso recorremos aos instrumentos democráticos à nossa disposição que, por sorte ou azar, vão desaguar no senado federal. Não temos cores partidárias, seguimos à ética e cultuamos a liberdade. Baseado nisso, envio a todos os senhores, independentemente de partidos, esta solicitação de apoio a petição de audiência pública que já foi encaminhada para a comissão competente.
Não existe uma nação no mundo capaz de sobreviver às hostilidades sem forças armadas capazes, bem equipadas e, sobretudo, motivadas.
Sempre fizemos parte dos destinos do brasil, atendendo aos interesses do povo e sempre a seu lado, na maioria das vezes como “poder moderador”, e se este país hoje é a sexta economia do planeta, temos grande participação nisso.
Contamos com o apoio responsável de V.Exª. Para que essa petição não fique engavetada no senado e que, o mais rápido possível, olhem para a esquecida família militar que a tanto espera para ter seus anseios atendidos.

Mensagem 2

Exmo. Sr. Senador
Senado Federal – Brasília.
Sou cidadão e militar brasileiro, venho sugerir uma analise do contexto abaixo descrito e uma conduta proba na defesa dessa questão de soberania nacional que aflinge e preocupa a todos militares, sejam eles Generais ou Soldados, causando tristeza a todos o revanchismo velado no tratamento e nas questões referentes a assunto militares.
As Forças Armadas, nesse Brasil moderno e contemporâneo, em tempos de descobertas de campos de petróleos e de distribuição de royalties petrolíferos, estão passando por um estado de penúria em todos os sentidos, equipamentos e armamentos obsoletos, a remuneração defasada a 11(onze) anos, decorrendo em um disparidade socioeconômica da classe e por consequência em um grande numero de empréstimos, endividamentos e numa evasão de recursos humanos jamais vista, como saída de médicos, engenheiros e pasmem até de alunos da AFA, ITA E IME e fora as áreas sensíveis do militarismo e o sofrimento e privações que a família que o acompanha passa por esses rincões desse Brasil.
O homem e a mulher que compõe as Forças Armadas estão desmotivados pela falta de lideres( Comandantes) que defendam os interesses de seus subordinados e que não pensem em seus próprios proveitos ( cargos comissionados, diplomacia internacional e o carreirismo), restando a esses subordinados a exposição de suas necessidades e de suas condições mínimas de sobrevivência a opinião pública e a aqueles que podem interferir e mudar o plumo dessa situação com uma mudança de concepção nacional e o devido respeito ao que prescreve a Lei Maior da República 1988 e pela Lei 10.331 de 18 de dezembro de 2001, que solidifica e fundamenta a valorização do militar, este que guarda e faz guardar a Constituição e as Leis da República, servindo as Forças Armadas, cumprindo os deveres militares, e dedicando a sua vida em defesa da Pátria e estando sempre pronto a lutar pela sua liberdade e independência, com o sacrifício da própria vida ( Juramento a Bandeira Nacional).
Esse quadro de desvalorização Militar, torna o país vulnerável num contexto internacional e até na América Latina, que por decisão de poucos, toda Sociedade Brasileira tem a perder, pois um país sem uma Forças Armadas respeitável, sem equipamentos, armamentos renovados e atualizados e sem a devida valorização dos seus recursos humanos, não conseguirá se impor no cenário mundial e muito menos poderá tomar decisões referentes a questões de grande envergadura e de equivalência a outras potencias mundiais.
Desse modo democrático e no exercício da cidadania, estamos de maneira individual nos manifestando junto ao Senado Federal na tentativa de sensibilizar os nossos representantes direitos, questão de soberania nacional, na proposição de uma Audiência Pública sobre a situação remuneratória e a devida modernização das Instituições Permanentes da Marinha, Exercito e Aeronáutica e incrivelmente ultrapassamos o numero de 300 ( trezentos) mil adesões, advindas de todos cidadãos Brasileiros, que assim reafirmam a credibilidade das Forças Armadas junto a Sociedade Civil.
Sendo assim, gostaria que a V. Exa. estudasse a questão repassada e expusesse sua singela e nobre ótica sobre essa penúria que passa os militares brasileiros, e intervisse de forma providencial ( Discursos e outros modus operandi), firmasse uma audiência pública com os respectivos responsáveis, sobre o descaso que sofre as Forças Armadas Brasileiras, com um viés comparativo de investimentos e valorização da classe, com os países que compõem os BRICS, demonstrando a atuação e importância dos Militares no Papel de Liderança do Brasil na América do Sul, na proteção, no controle e na vigilância da Amazônia, no desenvolvimento de novas tecnologias, na proteção dos Mares, do Espaço Aéreo, Missões de Estabilização de países em conflito ( Haiti e Libano), atuação nas atividades subsidiárias de apoio a União, Estados e Municípios como situações de construção de estradas, apoio a segurança pública, apoio no processo eleitoral, apoio em atividades sociais e afins, vemos que é de Interesse Nacional essa questão e de grande importância para todos nós que amamos a nossa Pátria.
Vossa Excelência, contamos com a sua hombridade nessa questão nobre e que essa Casa Republicana e Democrática que está inserida em todos os fatos históricos que marcaram o nosso país e que vem colaborando intensamente com a transformação da realidade nacional, para correta evolução de nossa sociedade de modo a nos tornarmos um exemplo para todo o Mundo, demonstre o verdadeiro valor e respeito aos Princípios Constitucionais da Republica, reconhecendo o valor e atuando em prol de melhores condições remuneratórias e da devida modernização de armamentos e equipamentos das Forças Armadas Brasileiras para a supremacia de nossa Soberania Nacional e Internacional e o devido respeito a Constituição da Republica e a Lei 10.331 de 18 de Dezembro de 2001, seja restabelecido em conformidade com principio da Legalidade.
Brasil !!! Acima de Tudo !!!

A resposta (padrão) do senador Paulo Paim
Prezado Senhor … Obrigado pelo contato que realiza com este mandato. Encaminho, abaixo, cópia do pronunciamento que proferi na tarde de ontem. 
Com as minhas cordiais saudações,

PAULO PAIM – Senador-PT/RS – www.senadorpaim.com.br

Registro sobre situação salarial dos integrantes das Forças Armadas.


Senhor Presidente,
Senhoras e Senhores Senadores.
Recebi uma correspondência, que gostaria de compartilhar com todos e que aborda a situação salarial dos integrantes das Forças Armadas.
Na correspondência consta:
“Estamos passando por uma situação extremamente constrangedora no que diz respeito a salários, e por isso venho pedir seu apoio para trazer os responsáveis (Ministério da Defesa, Comandantes Militares), Planejamento, Relações Exteriores a discutir o assunto em uma comissão no Senado específica para este fim.
Informo que recentemente foi feita uma proposta de debate sobre o aumento salarial das Forças Armadas no Portal e-Cidadania do Senado Federal, e a mesma atingiu o inédito número de mais de 365.000 apoios.
A proposta foi encaminhada à Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, pelo que solicito a atenção de V. Exa. para essa questão.
Muito obrigado,
Senhoras e Senhores Senadores, a carta segue dizendo:
É ENGRAÇADO PENSAR QUE NEM DURANTE O REGIME MILITAR ESTES QUE MUITOS GOSTAM DE CHAMAR “MILICOS” ESTIVERAM TÃO PRESENTES NO DIA-A-DIA DA POPULAÇÃO.
RECEBI DE UM AMIGO UM TEXTO INTERESSANTE – NÃO ESTOU CERTO SE É DESSES QUE CIRCULAM NA INTERNET SEM AUTORIA.
O FATO É QUE ESTÁ CHEIO DE VERDADES. COMO HÁ UM TRECHO NA PRIMEIRA PESSOA DO PLURAL, DEVE TER SIDO REDIGIDO POR UM MILITAR. LEIAM!.
– A PM NÃO QUER SUBIR O MORRO PORQUE É PERIGOSO? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – AS PM’s ESTÃO DE GREVE POR MELHORES SALÁRIOS? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – A ANVISA NÃO QUER INSPECIONAR GADO NO CAMPO? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – O IBAMA NÃO DÁ CONTA DE FISCALIZAR OS DESMATAMENTOS? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – OS CORRUPTOS GANHAM MILHÕES E NÃO CONSTROEM AS ESTRADAS? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – AS CHUVAS DESTROEM CIDADES? CHAMEM O EXÉRCITO BRA SILEIRO.
– CAIU AVIÃO NO MAR OU NA SELVA? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – EM CASO DE CALAMIDADES PÚBLICAS, A DEFESA CIVIL NÃO RESOLVE? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – DESABRIGADOS? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – A DENGUE ATACA? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO.
– O CARNAVAL, O ANO NOVO OU QUALQUER FESTA TEM POUCA SEGURANÇA? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – CERTEZA SE AS ELEIÇÕES SERÃO REALMENTE “LIVRES”? CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO. – PRESIDENTES, 1° MINISTROS E VISITANTES IMPORTANTES DE OUTROS PAÍSES (VEREMOS NO RIO+20). CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO.
– COPA DO MUNDO DE 2014 E OLIMPIADAS DE 2016? COM CERTEZA, MAIS DO QUE NUNCA. CHAMEM O EXÉRCITO BRASILEIRO!!!!!!!!!!!!
– AUMENTO SALARIAL CONDIZENTE COM A REALIDADE DA FAMILIA MILITAR? NÃO TEMOS A 11 ANOS, CONTRARIANDO INCLUSIVE A CONSTITUIÇÃO NACIONAL. – ADICIONAL NOTURNO? NÃO TEMOS. – PERICULOSIDADE? NÃO TEMOS.
– ESCALAS DE 24h POR 72h HORAS? NÃO TEMOS. – HORA EXTRA, PIS, PASEP, ADICIONAL TEMPO DE SERVIÇO? NÃO TEMOS. – RESIDÊNCIA FIXA? NÃO TEMOS. – CERTEZA DE DESCANSO NO FIM DE SEMANA? NÃO TEMOS.
– ACATAR TODAS AS ORDENS PARA FAZER TUDO ISSO E MUITO MAIS, FICANDO LONGE DE NOSSAS FAMÍLIAS, CHAMA-SE “RESPEITO À HIERARQUIA”. – ACEITAR TUDO ISSO PORQUE AMAMOS O QUE FAZEMOS. CHAMA-SE “DISCIPLINA”.
– QUER CONHECER ALGUÉM QUE AMA O BRASIL ACIMA DE TUDO? CHAME UM MILITAR DO EXÉRCITO BRASILEIRO.!
Era o que tinha a dizer,
Sala das Sessões, 13 de junho de 2012.
Senador Paulo Paim – PT/RS.

Comento:
Já escrevi aqui, e repito: esta é uma forma legítima de pressão sobre nossos representantes. Trata-se do exercício pleno da democracia. Eles (deputados e senadores) foram colocados no Congresso com o nosso voto e um eleitor fardado tem exatamente o mesmo valor de um civil. 
Portanto, reivindique, cobre do seu representante, seja ele senador, deputado, vereador, prefeito, governador, presidente (a). Você tem esse direito. E ele tem a obrigação de ouvir suas reivindicações.
A partir de hoje, links permanentes para contato com senadores e deputados estarão disponíveis no blog, bem aqui ao lado. Use-os para exercer a cidadania.
Skip to content