Escolha uma Página
Júlio Campos cobra posição de Dilma no reajuste das Forças Armadas

“Reconheço a importância que as forças armadas desempenham na defesa nacional, nas missões, e na segurança das fronteiras do país, fato que não vejo por parte do Governo Federal. É preciso que a categoria seja tratada com a dignidade que eles merecem”
Em função de mais de uma década de reajustes ínfimos nos vencimentos dos militares das Forças Armadas no país, o deputado federal Júlio Campos (DEM/MT) cobrou um posicionamento concreto da presidente da República Dilma Rousseff que permanece no campo do silêncio sobre o assunto, sendo que outras categorias do Executivo tiveram reajuste recentemente.
“Os militares das forças armadas estão com seus vencimentos defasados diante das dificuldades que a própria carreira impõe, as famílias são altamente prejudicas com as constantes mudanças entre estados, o que atrapalha nos estudos e desenvolvimento da carreira profissional de filhos e esposas” avalia o parlamentar.
De acordo com Júlio Campos, o ministro da Defesa, Celso Amorim em sua vinda ao Senado Federal foi questionado sobre um posicionamento do Governo, e respondeu que a presidente tem sensibilidade com a questão, e que o assunto tinha prioridade para o mês de abril. No entanto, nenhuma resposta foi dada, ele destaca que não é preciso somente sensibilidade e discurso é preciso uma ação concreta, o reajuste dos soldos.
“Reconheço a importância que as forças armadas desempenham na defesa nacional, nas missões, e na segurança das fronteiras do país, fato que não vejo por parte do Governo Federal. É preciso que a categoria seja tratada com a dignidade que eles merecem”, avaliou o parlamentar.
Para o deputado, além de salários defasados os soldados têm que permanecer calados, tendo em vista que conforme o art. 142, inciso IV, da Constituição Federal são proibidas a sindicalização e a greve por eles.
“E esta situação possivelmente tem sido amplamente explorada pelo Governo Federal, que tem se escorado na legalidade que a beneficia, e que impede os militares de se posicionarem, e por isso a morosidade de respostas concretas ao setor”, argumentou.
O Documento/montedo.com

Comento:
Taí, uma fala ponderada e correta. Gostei. Precisamos de mais vozes assim no congresso. Mande e-mails para os senadores e deputados. Faça sua parte. Você os elegeu. É hora de cobrar.
Skip to content