Escolha uma Página

Veterano toca uma placa em homenagem aos mortos nos conflitos nas Malvinas, em Alrewas, neste domingo (20) (Foto: Reuters)
Veterano toca uma placa em homenagem aos mortos 
nos conflitos nas Malvinas, em Alrewas, neste 
domingo (20) (Foto: Reuters)

Cerimônia foi em memória aos 255 britânicos falecidos no conflito.

Início da Guerra das Malvinas completou 30 anos em abril.
Mais de 600 ex-combatentes britânicos e parentes de vítimas da Guerra das Malvinas assistiram neste domingo (20) no condado inglês de Staffordshire a uma cerimônia em memória aos 255 britânicos falecidos no conflito, ato que teve a inauguração de um monumento.
O reverendo David Cooper oficiou um serviço religioso no National Memorial Arboretum, lugar de tributo às vítimas das guerras britânicas.
O monumento erigido nos jardins do Arboretum consiste em uma parede curvada de pedra procedente de Cotswold (Inglaterra), desenhada para lembrar a paisagem das Malvinas, ao lado da qual foram colocados dois bancos de rocha e várias placas, uma delas com os nomes de três ilhéus que morreram no conflito de 1982.
Durante a cerimônia, que durou cerca de 45 minutos e concluiu com uma apresentação de voos aéreos, a filha de um militar britânico falecido na guerra fez uma interpretação musical solo em homenagem às vítimas.
No dia 2 de abril passado, lembrou-se o 30º aniversário do início da Guerra das Malvinas, coincidindo com um momento de crescente tensão entre os governos do Reino Unido e da Argentina devido ao litígio da soberania das ilhas no Pacífico Sul.
O conflito bélico de 1982, no qual morreram 255 militares britânicos e 650 argentinos, começou quando a então junta militar argentina ocupou o arquipélago no dia 2 de abril daquele ano e terminou com a vitória do Reino Unido no dia 14 de junho seguinte.
G1 (EFE)/montedo.com
Skip to content