Escolha uma Página

Governador discute Operação Pipa em reunião com comandantes do Exército

Encontro tratou das ações para minimizar os efeitos da seca
Agência Alagoas-Encontro tratou das ações para minimizar os efeitos da seca

O governador Teotonio Vilela Filho recebeu, nesta quarta-feira (16), comandantes do Exército Brasileiro para discutir a situação da seca em Alagoas. O encontro, que aconteceu no Palácio República dos Palmares, tratou da Operação Pipa, responsável pela entrega de água potável em 36 municípios alagoanos, beneficiando 865 comunidades.
Na ocasião, foi ressaltado o trabalho em conjunto com a Defesa Civil para identificação dos locais com maior necessidade do mineral. A criação da sala de situação, montada na Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri) para monitorar a estiagem e discutir soluções para minimizar seus efeitos, também foi abordada durante a reunião.
O chefe do Executivo ressaltou a relevância da operação desenvolvida pelo Exército e, em especial, do apoio dado pela instituição. “Essa parceria é muito importante e o Comitê de Combate à Seca precisa desse tipo de ação. Só temos a parabenizar o Exército por esse excelente trabalho. Alagoas tem sido muito respeitado por todos os comandantes”, afirmou ele.
Teotonio Vilela Filho lembrou ainda a necessidade de já planejar, devido à dimensão da estiagem prevista para este ano, a ampliação da Operação Pipa. “Segundo o Inpe [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais], essa deve ser a maior seca dos últimos 50 anos e, por isso, já é importante pedir a ampliação dos carros pipa que atendem o Estado”, disse o governador.
O comandante do 59º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), coronel Frederico Pinto Sampaio, ressaltou que a solicitação é feita pelas administrações municipais e, depois, constatada pelo Exército. Uma equipe vai ao local para um reconhecimento da situação e, verificada a demanda, ela já é registrada no sistema para que possa ser atendida.
De passagem pelo Estado, o comandante da 7ª Região Militar do Exército – localizada em Pernambuco –, general Marcelo Flávio Aguiar, ressaltou a importância das ações. “Nossa preocupação principal é que possamos atender às demandas. Procuramos sempre afinar nossa relação, já que nosso principal interesse é beneficiar a sociedade”, disse.
Operação Pipa
Segundo o coronel Pinto Sampaio, Alagoas conta hoje com 165 pipeiros – motoristas que trabalham no transporte dos carros-pipa – atendendo a 865 comunidades. A operação tem investimentos mensais de R$ 2 milhões e engloba cerca de 30 militares. Ele destaca que os 36 municípios que decretaram situação de emergência já são atendidos pela iniciativa.
O número, porém, pode aumentar. “Com essa projeção da seca, as prefeituras estão entrando em contato conosco para solicitar a distribuição de água. Estamos analisando todos os casos e estudando as necessidades para a inclusão no nosso planejamento”, expôs ele, acrescentando que a solicitação é feita pelas Defesas Civis municipais.
A água distribuída às comunidades é proveniente de mananciais da Companhia de Abastecimento de Alagoas (Casal). Paralelo à operação, a Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) também está indo aos municípios para identificar poços e outras fontes de água potável que possam ser utilizadas para minimizar os problemas causados pela estiagem.
Agência Alagoas/montedo.com
Skip to content