Escolha uma Página
Exército vai ajudar a combater dengue
A cidade de Cuiabá poderá receber o apoio de militares do Exército no combate à dengue. Por conta do alto número de infestação do mosquito, o sindicato dos Médicos de Mato Grosso (Sindimed) encaminhou na tarde desta segunda (9) à 13º Brigada de Infantaria Motorizada um pedido emergencial para que os soldados auxiliem nas ações para o controle da doença.
O último levantamento feito pelo Ministério da Saúde, em janeiro deste ano, apontou que Cuiabá alcançou índices alarmantes do mosquito da dengue.
Balanço da Secretaria Estadual de Saúde aponta que de 1º de janeiro a 4 de abril foram registradas 11.531 pessoas com a doença. De acordo com os dados, Cuiabá responde com 20% dos casos de dengue registrados em Mato Grosso, com 2.421 notificações. No bairro Dom Aquino, em Cuiabá, o índice de infestação do mosquito transmissor da doença chegou a 14%, ultrapassando o índice recomendado pelo Ministério da Saúde, que deve ser de 1%.
A presidente do Sindimed, Elza Luiz de Queiroz, disse que a cidade já vive uma epidemia de dengue que tem superlotado hospitais da rede pública e particular. Além disso, segundo ela, falta estrutura para combater a doença. “A demanda está grande, não tem leitos e as pessoas chegam a ficar sentadas no chão nos hospitais”, pontuou
Elza Queiroz reforça que o Exército poderá auxiliar na estrutura, nos medicamentos, além de atuar em diversos bairros identificando os focos do aedes aegypti e a passar informações que ajudem a população a impedir a proliferação da doença, como recolher lixo, eliminar locais onde se acumule água parada e outras medidas.
Porém, a assessoria de imprensa da 13ª Brigada informou que irá analisar a questão para saber quais medidas iniciais poderão ser tomadas. “A presença dos soldados é de grande importância para o combate que está ficando cada vez mais difícil”, disse a presidente do Sindimed.
O Sindicato dos Médicos aponta também que o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá e as policlínicas da cidade vivem uma crise e a procura por consultas aumentou cerca de 25% de fevereiro. Por outro lado, a Prefeitura de Cuiabá reforça que está intensificando as ações de controle aos focos do mosquito nas residências, como também está realizando a borrifação de inseticidas nas casas mediante autorização dos moradores.
A coordenadora do Centro de Zoonoses, Alessandra Carvalho, reforça que o principal colaborador no combate à doença é quem está em casa. “Aliada às ações da secretaria deve estar a população, que tem um papel fundamental na limpeza e eliminação dos focos na doença, para sua amenização em qualquer município”, frisou.
Skip to content