Escolha uma Página

SP: presos PM e sargento do Exército suspeitos de homicídio

CHICO SIQUEIRA
Araçatuba (SP) – Um cabo da Polícia Militar (PM) e seu filho, sargento do Exército, foram presos na última quinta-feira, acusados de matar um aposentado com 16 facadas em Araçatuba, no interior de São Paulo. Armando Xavier dos Santos, 59 anos, foi preso na cidade quando acompanhava sua ex-mulher a um depoimento na Polícia Civil, enquanto seu filho, o sargento Andrei Xavier dos Santos, 29 anos, foi detido em uma unidade do Exército de Realengo, no Rio de Janeiro.
Os dois tiveram prisão temporária de 30 dias, prorrogáveis por mais 30, decretada pelo juiz Wellington Prates, da 2ª Vara Criminal de Araçatuba. Segundo o delegado Antônio Paulo Natal, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), no dia 9 de dezembro de 2011 pai e filho mataram a facadas o aposentado Antônio Francisco Bento, 58 anos, que que era portador de esclerose múltipla e sofria de doença degenerativa nos membros inferiores.
A polícia afirmou que a vítima foi atacada por volta das 14h, quando chegava em casa, no bairro Umuarama. Ainda dentro do carro, ele levou os primeiros golpes, depois foi jogado para fora do carro e novamente golpeado por pai e filho. “Uma testemunha, que está sendo mantida em segurança, viu tudo e nos contou com riquezas de detalhes”, disse o delegado.
O delegado disse acreditar que outras pessoas, que estavam num bar em frente à casa do aposentado, também tenham visto o crime. Segundo ele, outras provas contra pai e filho estão no carro e motocicleta usadas por eles. “A testemunha viu o carro do sargento, um Corolla prata, com placas do Rio, deixando o lugar, e a moto da mulher de Armando, usada por ele no dia para fechar o carro do aposentado, também foi reconhecida”, completou.
Em depoimento, Armando negou o crime e ficou calado quando da sua prisão, na quinta-feira. Seu filho deve ser ouvido nos próximos dias pelo delegado, que irá pessoalmente ao Rio de Janeiro para colher depoimento. A prisão de Andrei, que atua no setor de saúde da Escola de Instrução Especializada do Exército, foi possível devido á participação da Divisão de Homicídios da Polícia Civil e da Polícia do Exército.
De acordo com o delegado, tudo leva a crer que o crime foi cometido por motivos passionais, uma vez que Armando tinha se separado da mulher em setembro de 2011 por supostamente ter sido traído, na década de 1980, justamente pelo aposentado, quando a ex-mulher trabalhava com ele em uma escola pública de Araçatuba.
Terra/montedo.com
Skip to content