Escolha uma Página
Menor de 15 anos furta viatura do Exército e pai é denunciado
A Procuradoria de Justiça Militar em Brasília apresentou denúncia contra um civil acusado de furto qualificado (art. 240, Código Penal Militar) após seu filho, menor de apenas 15 anos, ter furtado um automóvel oficial das Forças Armadas carregado com materiais de construção. O homem teve participação direta no crime pois, além de acobertar o delito do menor, deu continuidade à ação e desviou a carga do automóvel. Se condenado, ele pode pegar uma pena de até seis anos de reclusão.
Dois militares (um soldado e um sargento) estacionaram o automóvel (uma caminhonete pertencente à 3ª Brigada de Infantaria Motorizada) na porta de uma loja de materiais de construção, na cidade de Taguatinga, região administrativa de Brasília. O menor, que segundo a denúncia circulava pela região com o objetivo de praticar pequenos furtos, percebendo o automóvel sem ocupantes, entrou no veículo e deu partida com uma chave falsa, evadindo-se do local. Dentro do carro estavam, além de diversos materiais já adquiridos pelos militares, uma pistola 9mm.

Leia também:CAMIONETE E PISTOLA DO EXÉRCITO SÃO ROUBADAS NO DF 

EXÉRCITO MOBILIZA QUASE MIL HOMENS PARA ENCONTRAR CAMINHONETE E PISTOLA ROUBADAS NO DF

Quinze minutos depois, conforme registrado por câmeras de segurança do comércio local, a caminhonete foi estacionada em outro ponto da mesma cidade. Cinco horas depois, o automóvel, ainda estacionado no mesmo lugar, foi abordado por pelo menos duas pessoas, uma delas o referido denunciado, e levada para outro lugar. Até o momento, de acordo com as imagens registradas, a carga da caminhonete do exército estava intacta.
Dois dias depois, o automóvel foi encontrado abandonado na cidade vizinha de Ceilândia. A arma não estava no local, tampouco os materiais. Mais dois dias e a arma foi deixada pelo menor, de 15 anos, enrolada em duas folhas de jornal, embaixo de um veículo estacionado na 17ª Delegacia de Polícia, em Taguatinga Norte. Os materiais de construção que estavam na caminhonete, entretanto, nunca apareceram.
O material furtado foi avaliado em cerca de cinco mil reais. O menor confessou o crime em depoimento na Delegacia da Criança e do Adolescente. Seu pai, o ora denunciado, entretanto, negou a participação. Contudo, para o MPM, apesar da negativa, as provas obtidas através das imagens e da perícia papiloscópica realizada na caminhonete furtada, provam sua culpa.
MPM/montedo.com
Skip to content