Escolha uma Página
Diretor-geral do Dnit reage à pressão política
Em entrevista exclusiva ao Correio do Estado, o general disse que não vai permitir qualquer ingerência política

CLODOAL SILVA
Foto: Divulgação General Jorge Fraxe disse que 
escolha não vai privilegiar bancada ‘A’ ou ‘B’
Depois de tomar conhecimento da guerra dos parlamentares do PT com o governador André Puccinelli (PMDB) pelo controle do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) em Mato Grosso do Sul, o diretor-geral do órgão, general Jorge Fraxe, reagiu com determinação de não aceitar pressão política de nenhum dos lados.
Em entrevista exclusiva ao Correio do Estado, o general disse que não vai permitir qualquer ingerência política na nomeação do superintendente do órgão no Estado e nem confirmou o nome do engenheiro José Luiz Vianna, que conta com apoio do governador, da bancada federal do PMDB e dos oposicionistas DEM e PSDB, que combatem a presidente Dilma Rousseff no Congresso Nacional.
O general explicou que escolher para o Dnit em Mato Grosso do Sul a pessoa com isenção e autonomia, sem privilegiar “bancada (política) daqui ou de lá”. O governador André Puccinelli, no entanto, já deu as bênçãos para a nomeação de José Vianna. Os petistas, senador Delcídio do Amaral, deputados federais Vander Loubet e Antonio Carlos Biffi, são contra a nomeação do engenheiro apoiado pelo PMDB.
Correio do Estado/montedo.com
Nota:
É falsa a informação plantada de que o possível indicado, José Luiz Vianna, seja filho de general.
Skip to content