Escolha uma Página
General Gonçalves Dias foi chefe da segurança do Palácio do Planalto nos dois mandatos
O general Gonçalves Dias, comandante das forças de segurança na Bahia, na 6ª Região Militar do Exército, foi a “sombra” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em seus dois mandatos. Ele ocupou o cargo de chefe da segurança do Palácio do Planalto. Conhecido como GDias, acompanhava Lula em todos os deslocamentos, de compromissos oficiais até mesmo em pescaria.
Ele chegou a planejar deixar o comando da segurança do presidente no segundo mandato de Lula porque pretendia ir para a Academia Militar das Agulhas Negras, depois de ser promovido a general.
Pelas regras da carreira militar, a patente de general é superior à chefia da segurança. E por conta disso, criou-se um cargo de assessor militar para que Dias permanecesse no cargo.
Foi o general Dias quem acordou Lula em Seul, onde participaria de uma reunião do G20, em 2010, com a notícia do infarto do então vice-presidente José Alencar. Nas férias de cinco dias no Guarujá, litoral Sul de São Paulo, em janeiro de 2010, o general Dias acompanhou Lula, dona Marisa Letícias e outros familiares.
Às vésperas de deixar a presidência, no dia 30 de dezembro de 2010, Lula participou da posse do novo chefe da segurança do Palácio do Planalto, general Marcos Antonio Amaro dos Santos. A presença dele na cerimônia foi uma deferência ao general Gonçalves Dias.
O Globo/montedo.com

Comento:
Discreto, o general ganhou notoriedade ao ser filmado carregando a bolsa de Dilma Rousseff quando ela e Lula desciam de um helicóptero para visitar José Alencar.
Skip to content