Escolha uma Página
Os rendimentos militares da Rússia
Foto: RIA Novosti
Continuam crescendo os lucros que a Rússia tem auferido com a venda de armamentos. Na lista dos seus parceiros básicos constam a Índia, a Argélia, a Venezuela, a China e o Vietnã.
O lucro auferido com a exportação de material de guerra técnico cresce de uma forma estável. Em 2011 a Rússia vendeu este material no valor de onze bilhões de dólares. A partir do ano 2000 o volume da exportação aumentou três vezes. Pode-se apontar a título de comparação que o valor do material de guerra exportado neste ano pelos EUA chegou a 28 bilhões de dólares. Mais da metade do material de guerra exportado pela Rússia corresponde à Índia. Os Emirados Árabes Unidos, a Coréia do Sul e alguns outros países importam os blindados de combate da infantaria BMP-3, com propulsor de esteiras. A Indonésia e a Venezuela adquirem tanques e aviões de combate. O total de contratos com a China para o fornecimento de aeronaves já beira um bilhão de dólares. A Argélia e o Vietnã gastaram as mesmas somas para a aquisição de caças. É pouco provável que estes importadores adquiram uma grande quantidade de material técnico de guerra em algum outro país, exceto a Rússia, afirma o perito militar Aleksandr Khramchikhin.
Amiúde o material técnico de guerra russo é mais barato do que o material análogo dos outros produtores. Mas o fator mais importante é que a Argélia, a Índia, o Vietnã e vários outros países estão habituados a lidar com o nosso material técnico de guerra desde a época da existência da União Soviética. Além disso, temos um sistema de cooperação de produção com a Índia. Este país desenvolve com a ajuda da Rússia a sua própria indústria de guerra.
Além disso, muitos armamentos russos não têm análogos no mundo. Por exemplo, os cruzadores submarinos do projeto Borei e os mísseis Iars e Topol. A Rússia possui o potencial e a base técnica para a produção de todos os tipos de armamento, declarou na entrevista à companhia de radiodifusão Voz da Rússia Igor Korotchenko, perito russo em mercado de materiais de guerra .
Nós praticamente não adquirimos o material técnico de guerra no estrangeiro. Temos apenas dois contratos: com a França para o fornecimento do porta-helicópteros Mistral e com Israel, que vai fornecer aeronaves não tripuladas. Quanto a todos os demais segmentos, a indústria de defesa russa é perfeitamente auto-suficiente. Estamos em condições de produzir toda a gama de armamentos a fim de satisfazer as necessidades das nossas forças armadas e da exportação.
O governo da Rússia destinou mais de 95 bilhões de dólares para a modernização da indústria de defesa. Num futuro próximo isso ajudará a consolidar a posição de liderança da Rússia no mercado mundial de armamentos.
A VOZ DA RÚSSIA/montedo.com
Skip to content