Escolha uma Página

Atualização 22h:
Estou pasmo. Recebi o seguinte texto na
área de comentários:
“Carlos
Waldyr Aguiar disse…
Bom
Dia. Feliz Natal. Sou o Tenente Coronel AGUIAR, Comandante do 4º Batalhão de
Aviação do Exército, Unidade Aérea diretamente subordinada ao Comando Militar
da Amazônia e com 18 anos de experiências em missões cumpridas nessa importante
e estratégica região de nosso País. Gostaria de esclarecer que a presente
matéria é totalmente inverídica. Não houve nenhuma decolagem no dia 23 Dez e,
muito menos, aeronave desaparecida. Os nomes divulgados nem pertencem ao
efetivo da Organização Militar. Os responsáveis pela matéria já foram
contactados e as devidas medidas já estão sendo tomadas. SELVA!!!”
 Não posso asseverar a veracidade do
comentário, porém, tudo indica que ele seja procedente. Desde ontem tenho
pesquisado nos sites de notícias para obter maiores detalhes da suposta queda
do helicóptero e estranhei muito a total ausência de informações a respeito. A
matéria constava, tão somente, no Portal A Crítica, de Manaus, de onde a retirei
(e guardei cópia, claro). 
Pelo sim, pelo não, A Crítica deletou a
notícia anterior (o link está indisponível) e postou uma nova versão. Confira:

Helicóptero desaparece após decolar de Manaus
Por volta das 22h de ontem, uma um grupo composto por cinco militares se deslocou de helicóptero do 4º Batalhão de Aviação para o município localizado ao Sul do Estado na tentativa de localizar a aeronave
ANA CAROLINA BARBOSA

Sete militares estão desaparecidos desde
às 15h de ontem. Por volta das 14h30, eles saíram de helicóptero do 4º Batalhão
de Aviação, localizado no bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul de Manaus,
com destino a Boca do Acre (a 1.028 quilômetros de Manaus) e, meia hora depois,
oficiais do Comando Militar da Amazônia (CMA) perderam o contato com o piloto             , segundo informações de uma fonte que preferiu ter a identidade
preservada e que afirma estar lotada no CMA
.
Por volta das 22h de ontem, uma um grupo
composto por cinco militares se deslocou de helicóptero do 4º Batalhão de
Aviação para o município localizado ao Sul do Estado na tentativa de localizar
a aeronave. Se confirmada a queda do helicóptero, eles acionarão o 1º Batalhão
de Infantaria de Selva (BIS) e Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs)
para iniciarem as buscas.
A assessoria do CMA nega que qualquer
aeronave tenha decolado na tarde de ontem e afirma que não há desaparecidos.
Comento:
Pelo jeito, alguém passou um trote na jornalista.Se, por um lado, lamento por ter
reproduzido uma informação provavelmente falsa, por outro, fico muito feliz em
saber que não houve acidente algum e que nenhum filho, pai ou esposa de
companheiros nossos chorou a perda de um deles neste Natal.

Confira a versão anterior da notícia, publicada ontem no blog: 

Helicóptero que decolou do 4º Batalhão de Aviação, na Zona Sul de Manaus, desaparece com sete pessoas a bordo

Além do piloto Bruno Campelo, estavam na aeronave o 3º sargento Rodrigo Lacerda, 26, o 2º tenente Alan Ribeiro, 32, o cabo Eudes Pascoal, 27 e os soldados Loy Martins, 23, Eduardo Borges (cuja idade não foi revelada) e Bruno Muniz, 19.
Uma equipe do CMA foi deslocada para Boca do Acre onde tentará localizar a aeronave (Alexandre Fonseca)
ANA CAROLINA BARBOSA
Sete pessoas – seis delas militares – estão desaparecidas desde às 15h de ontem. Por volta das 14h30, elas saíram de helicóptero do 4º Batalhão de Aviação, localizado no bairro Colônia Oliveira Machado, Zona Sul de Manaus, com destino a Boca do Acre (a 1.028 quilômetros de Manaus) e, meia hora depois, oficiais do Comando Militar da Amazônia (CMA) perderam o contato com o piloto            , segundo informações de uma fonte do CMA que preferiu ter a identidade preservada.
Além dele, estavam na aeronave o 3º sargento            , 26, o 2º tenente            , 32, o cabo               , 27 e os soldados             , 23,                  (cuja idade não foi revelada) e             , 19.
Por volta das 22h de ontem, uma um grupo composto por cinco militares se deslocou de helicóptero do 4º Batalhão de Aviação para o município localizado ao Sul do Estado na tentativa de localizar a aeronave. Se confirmada a queda do helicóptero, eles acionaram o 1º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS) e Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs) para iniciarem as buscas.
A CRÍTICA
Skip to content