Escolha uma Página

Uma missão no Haiti

Uma missão no Haiti
O ano novo será de muita expectativa e trabalho para os oficiais do 28º GAC de Criciúma, que irão para o Haiti em missão de paz da ONU. O Exército Brasileiro está em missão no país da América Central desde 2004, e assumiu trabalhos importantes após os recentes terremotos que atingiram o Haiti.
Em 2012, os militares brasileiros que irão para lá serão do estado de Santa Catarina, sendo 12 de Criciúma. Segundo o coronel André Luiz Ribeiro Campos Allão, essa é uma grande oportunidade para a cidade.
“Eles levam o nome da cidade em uma missão internacional, além do que servem de exemplo para os outros militares que estão no quartel e também os que estarão entrando para o Exército”, explica Allão.
Todos os militares que irão ao Haiti foram voluntários para a missão – serão oito sargentos, dois oficiais e dois soldados. “A missão é manter a paz, dar apoio à população, fazer o patrulhamento de vias e reconstrução do país. Eles não vão ganhar dinheiro a mais, é só o necessário para viver. O importante da missão é a experiência de vida e as lições que se pode tirar de um lugar como aquele”, afirma o coronel.
A tropa criciumense deve permanecer no Haiti durante oito meses, período em que manterão contato com a família apenas por telefone e internet. “Eles terão um centro de comunicações só para o contato diário com a família. A responsabilidade deles é apenas ter a certeza de que a família terá os meios para que eles entrem em contato”, diz Allão.
Orgulho em representar o Brasil
Do dia 28 de novembro a 2 de dezembro, o grupo esteve em Florianópolis para realizar o treinamento de preparação para a missão, que deve se iniciar na segunda quinzena de março. Exames físicos e psicológicos foram feitos com cada militar. “Para mim será uma experiência pessoal muito grande. Participar dessa ação nos deixa entusiasmados e nos dá a chance de aperfeiçoar o que a gente já faz aqui no quartel”, diz o soldado Marcos Oliveira, que já completou seu quinto ano no 28º GAC. Os militares de Criciúma seguem agora em treinamentos específicos para as atividades que serão desenvolvidas no Haiti;
A Tribuna/montedo.com
Skip to content