Escolha uma Página
Metade dos brasileiros teme ataque estrangeiro por conta da Amazônia
Estudo do IPEA revela o temor de um ataque estrangeiro contra o Brasil em função de interesses sobre a Amazônia.

Isaac de Paula – [email protected]
Helicópteros patrulham região da selva amazônica 
durante Operação Poraquê, realizada em 2008. 
Foto: Elio Sales/MD
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou, nesta quinta-feira (15), estudo que revela o temor de um ataque estrangeiro contra o Brasil em função de interesses sobre a Amazônia. Segundo o levantamento do Sistema de Indicadores de Percepção Social (SIPS), 50,2% dos brasileiros acreditam “totalmente” ou “muito” nesse risco dentro dos próximos 20 anos.
O SIPS ouviu 3.796 pessoas, em 212 municípios brasileiros, que responderam à seguinte pergunta: ‘A Amazônia brasileira possui muitos recursos naturais, como os minérios, a água e as próprias florestas. Você acredita que o Brasil, nos próximos 20 anos, possa sofrer uma invasão militar estrangeira com o objetivo de controlar os recursos naturais da Amazônia?’.
Ao questionamento, metade dos entrevistados confirmaram acreditar em um possível ataque em duas décadas. A nível regional, alguns dados são ainda maiores. No Norte, por exemplo, 66,1% “acreditam muito” nessa possibilidade – a maior percepção de ameaça do País. Em seguida, aparecem as regiões Sudeste (50,3%), Centro-Oeste (50%), Nordeste (48,3%) e Sul (44,9%).
Em termos de idade, a preocupação em relação a essas ameaças é menor entre os entrevistados nas faixas etárias de 55 a 64 anos e mais de 64 anos. Mais de 52% dos entrevistados de 18 a 24 anos acreditam ‘totalmente’ ou ‘muito’ em uma agressão militar estrangeira contra o Brasil em função de interesses na Amazônia, enquanto o percentual de entrevistados que acredita nessas ameaças se reduz, respectivamente, para 43,8% entre as pessoas com mais de 64 anos de idade.
Entre os países que mais representariam ameaças militares ao Brasil está Estados Unidos (37%), Argentina (15,6%) e Bolívia (12,2%). Quanto a possíveis alianças, os moradores do Norte são os que se apresentam como os mais céticos quanto à possibilidade de o Brasil desenvolver alianças ou parcerias importantes nas próximas duas décadas: 7,4%, contra quase 15% na média nacional.
Além da Amazônia, outra porção estratégica do território nacional que estaria sob ameaça, segundo 45,5% dos entrevistados, é o Pré-Sal. Os percentuais dos que consideraram essa hipótese pouco provável ou impossível foram, respectivamente, de 30,4% e 34,3%.
Outros pontos analisados pela pesquisa foram a avaliação da população brasileira sobre a atuação de ONGs estrangeiras na Amazônia: a grande maioria (61,1%) vê positivamente o trabalho das ONGs.
Portal Amazônia/montedo.com
Skip to content