Escolha uma Página
Jornal divulga piada de ministro e general com soldados mulheres
O ministro da Defesa, Ehud Barak, e o Chefe do Exército de Israel, o general Benny Gantz, foram flagrados fazendo comentários de mau gosto sobre as soldados mulheres e depois pediram aos jornalistas para que não divulgassem o fato, informa nesta quarta-feira o jornal Haaretz.
A conversa ocorreu na última terça-feira durante um exercício militar no norte do país, quando ambos brincaram sobre a questão das mulheres que atuam no Exército. Em tom de deboche, eles fazem referência à recente polêmica que suscita entre militares do setor religioso e as oficiais, vítimas de piadas por cantarem em missões.
Segundo o jornal, depois que Gantz advertisse que jornalistas da Rádio Militar Galei Tzahal e do Canal 2 da televisão tinham gravado o diálogo, Barak se dirigiu aos repórteres para realizar ameaças e tentar impedir que o ocorrido fosse divulgado.
O ministro de Defesa pediu ao repórter da rádio que arquivasse a gravação, além de ter feito outra ameaça ao jornalista do canal televisivo. Barak falou que se essa conversa fosse divulgada seria a última colaboração do jornalista com o canal, confirmou o Haaretz.
Apesar das ameaças do ministro, o vídeo acabou sendo divulgado. Neste, Barak aparece dizendo: “Onde estão as meninas aqui do batalhão, da brigada e da divisão?” Na sequência, Gantz responde: “Elas cantam durante o intervalo. No tempo livre elas começam a cantar”.
Pouco tempo depois, o comandante da Brigada Golani, Ofek Buchris, também presente no exercício, se manifesta: “não há problema para que elas cantem, se estiverem sozinhas tudo bem”.
Barak, por sua vez, continua com suas brincadeiras: “Aqui está Dana, do Ministério de Comunicações, ela pode cantar sem uniforme”. Buchris completa: “Se fizer sem uniforme, mas vestida, ainda estará tudo bem”.
Neste momento, o general percebe a presença dos jornalistas, se dirige ao repórter da emissora militar e fala: “É da Rádio do Exército? Isto não será divulgado. Embora seja a maior reportagem de tua vida, ela ficará em seu gravador”.
Não contente com o fato, o Chefe militar ainda ameaçou o outro repórter que estava no local: “Essa pode ser sua última reportagem e isso seria uma pena. Como uma última guerra. Eu te prometo que essa será a última matéria que irá fazer”.
No último mês de outubro, após receber ordens de rabinos militares, um grupo de soldado mulheres teve que abandonar um evento. Na ocasião, elas estavam em um exercício de canto e tiveram que completar a missão em outro local.
Em comunicado, a porta-voz militar afirmou que os comentários de seus responsáveis, que “foram feitos em tom jocoso, foram feitos em uma conversa desprendida e nada mais. Lamentamos a interpretação que foi dada”.
No entanto, a divulgação das entrevistas provocou uma série de reclamações de deputadas e deputados de diferentes formações políticas no Parlamento israelense, todas denunciando o “machismo” entre os militares e “a falta de respeito” com as mulheres em todos os âmbitos da sociedade.
mais notícias de oriente médio »
EFE/montedo.com 
Skip to content