Escolha uma Página
Ibama e Exército implodem viveiro de camarão irregular no Rio Grande do Norte
Airton De Grande
O Ibama concluiu no início da tarde de hoje a implosão de um viveiro de camarões irregular no município de Tibau do Sul, a cerca de 70 km de Natal, RN. A operação, executada com o apoio do Exército Brasileiro, obedeceu a uma determinação da Justiça Federal. Desde 2000, o proprietário do criadouro vinha desafiando os órgãos ambientais e a própria Justiça, pois além de desmatar áreas de manguezal, não providenciou o licenciamento ambiental nem respeitou os embargos impostos pelo Ibama. A solução encontrada foi abrir, com duas explosões, passagens nos taludes do tanque para permitir a entrada das águas do estuário da Lagoa de Guaraíras e propiciar, assim, a regeneração do manguezal suprimido há 11 anos.
A primeira explosão foi provocada com uma carga de 45 kg do explosivo TNT (trinitrotolueno), que colocou abaixo uma comporta de concreto para o controle do nível de água do tanque. A segunda, que contou com uma carga menor, de cerca de 20 kg do explosivo, abriu uma passagem no talude. Minutos após a segunda explosão, ocorrida por volta das 12h30, as águas do estuário começaram fluir naturalmente para dentro do tanque, dando início ao processo que vai permitir a regeneração do manguezal no local. Apesar da força das explosões, que produziram uma coluna de fumaça com dezenas de metros de altura, não houve registro de aves ou mamíferos feridos. As árvores dos mangues ao redor não foram derrubadas – perderam apenas folhas.
O resultado agradou aos analistas ambientais e também ao superintendente do Ibama no RN, Alvamar Costa de Queiroz. “A localização desse viveiro não permitia a entrada de máquinas e a abertura com ferramentas manuais acabaria facilitando a reincidência desse infrator, que já desrespeitou quatro autuações”, diz Queiroz. “Com as explosões, além de ser mais rápido, a reconstrução do tanque fica muito mais difícil”, finaliza.
O Ibama contou com o apoio do 7º Batalhão de Engenharia de Combate de Natal, responsável pela execução de todo o trabalho com explosivos, bem como pela segurança da operação.
Sobre a área da operação
O viveiro de camarões implodido hoje fica localizado no Município de Tibau do Sul, às margens da Lagoa de Guaraíras. A lagoa integra um complexo estuarino-lagunar de 52 km²., com grande relevância ambiental. Mas nos últimos anos, em virtude da pressão provocada pelos empreendimentos de carcinicultura, pela especulação imobiliária e também pelo turismo, os manguezais vem sendo reduzidos. Dos anos de 1990 até 2010, os manguezais da região perderam uma área equivalente a 200 campos de futebol. O viveiro irregular ocupava uma área de cerca de um hectare (um campo). A expectativa é que dentro de três ou quatro anos as árvores de mangue já tenham ocupado novamente todo o interior do tanque.
Jornal Dia Dia
Skip to content