Escolha uma Página
Mundial Militar passa tranquilidade para nova comissão fiscalizadora
Coordenador dos Jogos de 2011, General Jamil Megid apresenta trabalho realizado até agora, em audiência pública, na Assembleia Legislativa do Rio
General Gemid faz apresetação sobre os Jogos
Militares (Foto: Fellippo Brando/divulgação Alerj)
Lydia Gismondi
A menos de um mês para o início dos Jogos Mundiais Militares, a organização da competição das forças armadas deu algumas explicações do trabalho feito até agora para a recém criada Comissão Especial da Copa e das Olimpíadas. O grupo, instalado pela Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, mostrou-se satisfeito com as informações passadas pelo General de Brigada Jamil Megid, durante uma audiência pública, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro.
– Nós tivemos, nessa primeira audiência pública, a oportunidade de conhecer o básico dos Jogos Militares. É claro que nós temos uma série de preocupações, mas a forma que o General Megid fez sua explanação nos deu uma razoável tranquilidade. Nós sabemos que a Copa e as Olimpíadas terão investimentos muito maiores, mas nesses outros eventos teremos a oportunidade de observar acessibilidade, transporte, segurança… – disse o presidente da comissão, Nilton Salomão.
Instalada oficialmente apenas na semana passada, a Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro tem como objetivo acompanhar os impactos econômico, ambiental, social e de legado urbano e fiscalizar obras dos seguintes grandes eventos esportivos: V Jogos Mundiais Militares 2011 do CISM, Copa das Confederações FIFA – 2013, Copa do Mundo FIFA -2014 e Jogos Olímpicos e Para-Olímpicos de 2016.
Na audiência desta quarta-feira, o coordenador do Comitê de Planejamento e Operacionalização dos V Jogos Mundiais Militares, General Jamil Megid, fez uma apresentação geral de todo o trabalho que foi feito na organização da competição, disputada de 16 a 24 de julho, no Rio de Janeiro. Após a explanação, Megid respondeu com segurança aos questionamentos feitos pelos deputados, que pareciam não dominar o assunto. A questão do orçamento, que chega a quase R$1,5 bi, foi um dos pontos abordados.
– Nós temos seis grandes projetos que realizam o trabalho de preparação dos jogos e que, obviamente, fazem parte do orçamento. É a construção das vilas dos atletas, a modernização de instalações esportivas, a preparação das equipes, segurança, a parte de tecnologia da informação e a parte de logística – explicou Megid.
O Mundial Militar, no entanto, parece ser a menor das preocupações da comissão fiscalizadora. A Copa de 2014 e as Olimpíadas de 2016 sãos os dois eventos que prometem exigir um maior acompanhamento dos deputados.
– Nós estamos extremamente preocupados com a questão dos cronogramas. Até o Mundial Militar, que comparado com os outros eventos é menor, também teve algumas dificuldades – disse Salomão.
GLOBO ESPORTE
Skip to content