Escolha uma Página
Quatro corpos já foram encontrados, entre eles o da namorada do filho do governador do Rio
Equipes de mergulhadores da Marinha Brasileira retomaram por volta das 6h as buscas às duas vítimas que ainda faltam ser resgatadas do acidente ocorrido com um helicóptero na sexta-feira na praia de Ponta de Itapororoca, em Porto Seguro, a 740 km de Salvador. Dos sete ocupantes da aeronave, quatro foram encontrados sem vida, entre eles Mariana Noleto, namorada de Marco Antonio Cabral, filho do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB).
Os demais corpos são de uma mulher, encontrada com roupas de babá, e de duas crianças. Uma outra moça, identificada apenas como Fernanda, 35 anos, foi encontrada por um barco pesqueiro no final da noite de sexta-feira. Com fraturas múltiplas e em estado de choque, ela foi levada para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro, onde segue internada.
Os mergulhadores efetuaram a interrupção nas buscas por volta das 4h para alimentação e breve descanso. Enquanto isso, bombeiros e policiais militares continuaram no local. As buscas agora ocorrem em uma praia próxima à Ponta de Itapororoca, Itaquena, para onde, dada a quantidade de horas da queda, os corpos já poderiam ter sido levados pela correnteza.
Segundo a Polícia Civil, a companhia de energia local instalou postes de iluminação para a realização dos trabalhos das equipes – além dos membros da Marinha, bombeiros e policiais militares estão empenhados nas buscas.
A bordo do helicóptero também estavam Jordana Kfouri, mulher do empresário Fernando Cavendish, seu filho Lucas, a babá do menino e o empresário Marcelo Almeida. Em princípio, Jordana e Marcelo são os dois ainda desaparecidos.
Fernando Cavendish, marido de Jordana, e Marco Antônio, filho de Cabral, não embarcaram pois não havia lugar: seriam realizadas várias viagens para levar todos os convidados. Eles iriam no voo seguinte, quando o helicóptero retornasse. A aeronave levava o grupo de amigos para passar o fim de semana no condomínio, que tem praia particular.
No local havia uma forte neblina. O helicóptero era pilotado pelo empresário Marcelo Almeida, presidente do First Class Group e dono do Jacumã Ocean Resort, um condomínio de luxo em Trancoso. Ele havia jantado horas antes em Trancoso com o governador Sérgio Cabral, que estava no resort com a família e o primeiro escalão do governo do Rio. Após o jantar, Marcelo saiu para pegar outro grupo de parentes do governador, quando houve o acidente. O helicóptero foi dado como desaparecido às 18h40.
JB
Skip to content