Escolha uma Página
Jogos Mundiais Militares prometem brilho e preparam o Rio para a Olimpíada de 2016
Evento, que terá transmissão da Rede Record, agitará a cidade em julho

Carolina Canossa
O Rio de Janeiro terá no mês que vem seu primeiro grande teste para receber a Olimpíada de 2016. Entre 16 e 24 de julho, será realizada na cidade a 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares, reunindo cerca de seis mil atletas oriundos de mais de 80 países, que disputarão medalhas em 20 modalidades.
O evento terá transmissão exclusiva da Rede Record. Nesta quinta-feira (16), a emissora recebeu em suas instalações importantes membros do Exército Brasileiro. Em entrevista ao R7, o comandante do Exército, General Enzo Martins Peri falou sobre os preparativos e as expectativas para a disputa:
– Pode-se dizer que serve como uma prévia da Olimpíada. É um evento importante, que faz parte da agenda esportiva internacional. O próprio governo do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura estão vendo nestes Jogos um treinamento para disputas como a Olimpíada, a Copa das Confederações e a Copa do Mundo, não só pelo aspecto esportivo, mas também como a parte de infra-estrutura, de segurança, de divulgação e de imprensa. Será também de uma importância também muito grande para o turismo.
Devido à sua grandeza, os Jogos Mundiais Militares usarão, além de instalações próprias para a competição, sedes da última edição dos Jogos Pan-americanos. É o caso do ginásio do Maracanãzinho e do Estádio João Havelange, o Engenhão.
Para fazer bonito em casa, as Forças Armadas brasileiras investiram no alistamento de atletas de destaque no cenário nacional, caso dos campeões olímpicos de vôlei Valeskinha e Anderson, do triplista Jadel Gregório, do lutador de taekwondo Diogo Silva, da nadadora Joanna Maranhão e do judoca Leandro Guilheiro. Diante de um time tão forte, o General Enzo fica otimista:
– Até agora, nas edições anteriores dos Jogos Mundiais Militares, nós competimos com o que chamamos de “prata da casa”, ou seja, aqueles que já estavam dentro das fileiras do Exército. Mas aí aprendemos a lição com outros países, que colocavam atletas de ponta para integrar as Forças. Pela primeira vez, nós estamos fazendo isso. Por isso, estamos aguardando um número de medalhas razoável.
A ideia é, inclusive, continuar investindo em nomes fortes após a disputa, explica o General Enzo:
– No ano passado, nós fizemos um convênio com o COB no sentido de oferecer a oportunidade de preparar estes atletas para o amanhã, como habilitá-los a serem treinadores, a terem um diploma e serem reconhecidos como tal. Isto é muito importante para os atletas, especialmente aqueles que não possuem um patrocínio. É uma forma de incentivar o esporte de forma geral. Com isso, melhoramos também o nosso nível interno.
Os atletas e os demais membros das delegações dos Jogos Mundiais Militares ficarão alojados em três Vilas Militares: a Vila Branca, no bairro de Campo Grande, a Vila Verde, em Deodoro, e a Vila Azul, no Campo dos Afonsos. No total, serão 8332 leitos distribuídos em 1206 apartamentos, que oferecerão todo o conforto como serviços como lavanderia, alimentação, transporte, saúde, telecentro, limpeza, lojas de conveniência, sala de musculação e segurança.
R7
Skip to content