Escolha uma Página
Em uma ação rápida das forças de Segurança do Tocantins conseguiu em menos de uma hora controlar a rebelião realizada na manhã desta sexta-feira, 08 de abril, na Casa de Prisão Provisória de Palmas – CPPP. Participaram da ação; Policiais Civis, o Helicóptero da SSJC, o Gote – Grupo de Operações Táticas da PC, Policiais Militares, Corpo de Bombeiros, e Militares do 22º Batalhão do Exercito Brasileiro.
Durante a rebelião aproximadamente nove presos, que comandaram o motim, atearam fogo no Pavilhão A, composto por 28 celas, resultando na destruição parcial de 16 delas. Os demais presos danificaram as grades de proteção na tentativa de se livrarem da fumaça. O Pavilhão A acomodava aproximadamente 200 detentos.
De acordo com o Superintendente do Sistema Penitenciário e Prisional do Tocantins, Jairon Afonso, o Grupo de Interceptação Rápida e os agentes plantonistas, da CPP Palmas, identificaram o início do motim e imediatamente solicitaram apoio. “É importante frisar que os agentes estão sendo constantemente preparados para identificar início de rebelião. A rápida ação evitou que agentes fossem feitos de refém”, disse Jairon.
O secretário de Segurança, Justiça e Cidadania, João Costa, esteve no presídio e disse que é preciso ser enérgico e que não serão toleradas tentativas de fugas ou rebeliões. “A rápida e eficiente atuação em conjunto das forças de Segurança conseguiu identificar os autores da ação e evitar maiores danos. Todos os presos envolvidos na ação são detentos do Presídio Barra da Grota, localizado em Araguaína. Não estão descartadas que as grandes apreensões de drogas, realizadas pela Polícia Civil nos últimos dias, podem ter relação direta com o motim desta sexta-feira”, concluiu.
Não ouve nenhum óbito. Dois presos ficaram levemente feridos. Um deles foi encaminhado para o hospital com ferimento leve no pé direito. (Da assessoria da SSP)
Portal Stylo
Skip to content