Escolha uma Página
O Governo do Estado vem preparando várias ações para recuperar a malha viária e para obter investimentos em infraestrutura. Para viabilizar o Programa de Asfalto Urbano, de construção de pontes, estradas e pistas de pouso em Goiás, foi realizada ontem, no Rio de Janeiro, uma reunião na Fundação Ricardo Franco, ligada ao Instituto Militar de Engenharia, que contou com a participação do secretário de Infraestrutura de Goiás, Sérgio Cardoso, do general Jorge Armando, do IME, e do chefe de gabinete da Agência Goiana de Transporte e Obras, José Marcos de Freitas Musse.
Foram discutidas diversas soluções para os problemas de infraestrutura do Estado de Goiás, incluindo construção de pontes, asfaltos e pistas de pouso. “O governo do Estado de Goiás busca parcerias para viabilização do programa, por isso fomos ao Rio de Janeiro conhecer os projetos de cooperação do IME”, disse Sérgio Cardoso. “A competência do Instituto é conhecida. Na parte de fiscalização e execução de obras eles são ágeis. Tivemos a oportunidade de ver como os programas de asfaltamento urbano e obras de infraestrutura do Exército são eficientes”, complementou Cardoso.
O Instituto Militar de Engenharia coopera para o desenvolvimento de diversas regiões do País. Nos anos de 1999 e 2000, o IME participou da construção da pista de pouso do aeródromo de Pirenópolis. Atualmente, o Instituto também auxilia na restauração da Catedral de Brasília. Para dar continuidade à agenda de cooperação com Goiás, o general Jorge Armando afirmou que pretende vir a Goiânia para nova reunião junto à Agetop. O IME é responsável, no âmbito do Exército Brasileiro, pelo ensino superior de Engenharia e pela pesquisa básica.
Também ontem, a equipe do Governo de Goiás reuniu-se com o gerente de homologação de pistas de pouso em Goiás, da Agência Nacional de Aviação Civil, Marcelo de Canossa. Na oportunidade, os representantes do governo souberam que diversas pistas do Estado ainda não foram homologadas. “O governo anterior deixou diversas obras paradas, como é o caso de Iporá, Edéia e Aragarças. O atual governo se empenhará para adequar rapidamente estes aeródromos e colocar todas essas obras em funcionamento”, informou o secretário Sergio Cardoso.
Emergência
Com 10 mil quilômetros de rodovias pavimentadas, Goiás sofre com quedas de pontes e buracos no asfalto, provocados pelo período intenso de chuvas. A administração estadual está focada na manutenção e no atendimento das situações de emergência para garantir o tráfego nas rodovias. Os 246 municípios goianos serão contemplados com programa de asfaltamento urbano, explica Cardoso.
Já foram formados 20 grupos de trabalho que serão distribuídos no Estado de acordo com as necessidades de cada região. A meta é asfaltar todas as cidades no prazo mais rápido, com custo menor. O trabalho será executado através de parcerias entre o Estado, prefeituras e institutos de pesquisa. 
Goiás Agora/O HOJE
Skip to content