Escolha uma Página

Militares treinam para atuar no Rio
Antoniele Luciano

Soldados do 30º BIMtz escalados para tarefa no Morro do Alemão treinaram ontem técnicas para tiro
Credito: Sérgio Rodrigo
Os militares do 30º Batalhão de Infantaria Motorizado (BIMtz), de Apucarana, que serão enviados no mês que vem ao complexo de favelas do Morro do Alemão, no Rio de Janeiro, começaram a receber anteontem instruções específicas dos oficiais escalados para a missão pacificadora. Ao todo, 150 homens vão compor a 2ª Companhia de Forças Pacificadoras do Batalhão Heróis da Lapa. Eles devem permanecer três meses nas comunidades cariocas.
O comandante do 30º BIMtz, tenente coronel Wellington Lousada, explica que 11 dos militares selecionados estiveram em Campinas, na semana passada, recebendo ensinamentos que estão sendo transmitidos aos demais soldados. As técnicas abordam desde padrões de conduta ao uso de equipamentos especializados no combate urbano. “Missões como essa e a do Haiti exigem um treinamento a que os militares não estão acostumados, como atividades de polícia. Isso pede um trato com a população e conhecimento sobre a malandragem dos bandidos. Eles não podem matar, têm que saber lidar com eles”, diz.
Lousada ainda aponta que, por ser uma missão pacificadora, os militares do 30º BIMtz terão que aprender a usar armas e munições não letais, como as com tiro de borracha, bombas de gás lacrimogêneo e até spray de pimenta. Além disso, vão treinar táticas de patrulhamento ainda nas ruas de Apucarana. Após o embarque para o Rio, no dia 16 de abril, eles terão também treinamentos com blindados e aparelhos como óculos de visão noturna e coletes à prova de bala.
“Durante uma semana, os militares também passarão por avaliações, inclusive psicológicas. Será um período de adaptação, já que o soldado daqui sabe o que é pobreza, mas não o que é favela”, pontua o comandante, ao lembrar que os militares estão animados com o desafio.
“Escolhemos a nata da nata e vemos que, a cada dia, eles estão mais empolgados. Essa é uma missão tão quanto ou até mais importante do que a do Haiti. Neste caso, os soldados voltarão ao Rio depois, o que não ocorre em relação ao Haiti”, salienta.
A missão no Morro do Alemão começa no dia 25 de abril. Até lá, os militares também devem passar por treinamentos em Ponta Grossa.
TNNews
Skip to content