Escolha uma Página
Exército começa a substituir a tropa que ocupa o Alemão
Após quase dois meses do início da ocupação do conjunto de favelas do Alemão e da Vila Cruzeiro, na Zona norte do Rio de Janeiro, os homens do Exército que integram a força de pacificação começam a ser substituídos nesta sexta-feira. A troca dos cerca de 1,7 mil militares da brigada de Infantaria Paraquedista deve estar concluída no domingo.
O comandante militar do Leste, general Adriano Pereira Júnior, que participou, nesta quarta-feira,da solenidade de formatura operacional dos militares da 9ª Brigada de Infantaria Motorizada, que passarão a ocupar as comunidades, o rodízio é necessário pois as atividades são exaustivas. Ele garantiu, no entanto, que o novo grupo tem a mesma qualidade técnica dos soldados que deixam o conjunto de favelas. “Agora será mais um trabalho de continuidade. Entramos lá tomando tiro [dos traficantes de drogas que dominavam a área], hoje isso já não ocorre. É muito mais uma ação de presença, de polícia”, afirmou.
Segundo o general, as principais situações em que os militares são requisitados para solucionar estão relacionadas ao cotidiano de qualquer comunidade, como brigas familiares e confusões causadas pelo excesso do consumo de bebida.
A força de pacificação que ocupa o conjunto de favelas desde 23 de dezembro do ano passado é formada por cerca de 1,5 mil militares, 200 policiais militares e 30 policiais civis. Na região, composta por 22 comunidades, vivem aproximadamente 400 mil pessoas. De acordo com o último balanço da força, divulgado no início do mês, foram feitas 72 detenções e 11 prisões, sendo sete por tráfico de drogas; apreendidos oito fuzis, cinco pistolas, 2 mil munições de diversos calibres, 18 quilos de cocaína, 7 de maconha e 3 de crack.
Agência Brasil
Skip to content