Escolha uma Página

“Só chorarei o dia que puder enxugar minhas lágrimas com minha BANDEIRA! E dizer a ela: EU cumpri minha Missão!”
Silvia Nobre Waijãpi


Da coluna de Ricardo Boechat, na Isto É:
Índia fardada

Acaba de ser incorporada ao Exército a primeira oficial índia das Forças Armadas do Brasil. É a tenente Silvia Waiãpi, da etnia que lhe dá o sobrenome. Nascida no Amapá, 33 anos, Silvia é formada em artes e fisioterapia, além de poeta e antiga militante das causas indígenas. Seu ingresso na carreira militar ocorreu por concurso, do qual participaram cinco mil candidatos.
BOECHAT-04-IE-2151.jpg

Pesquisando na web, encontrei o blog Silvia Nobre Wajãpi, de autoria da nova tenente. Nele, muitas informações,  imagens e textos; Aqui, uma foto de Silvia em uma aldeia da tribo.

Abaixo, vestindo jeans.

Aqui, com a família (mais urbano, impossível).

Mas agradou-me, sobretudo, o texto abaixo, que revela um patriotismo insuspeitado na representante de um povo para o qual se apregoa aos quatro ventos a criação de “estados autônomos” dentro do País.
Pela amostra, o Exército Brasileiro está de parabéns.
Vale a leitura.

Eu já prometi muitas coisas em minha vida… Muitas eu cumpri, outras se apagaram com o tempo ou foram esquecidas no baú de lembranças de menina. Mas quando vejo esta Bandeira sei que é a única que eu realmente defenderia mesmo com sacrifício de minha própria vida!

E é por causa dela que luto todos os dias para fazer honrada a minha história…

Muitos dizem que sou “seca e dura”. Eu vos confesso! Só chorarei o dia que puder enxugar minhas lágrimas com minha BANDEIRA! E dizer a ela: EU cumpri minha Missão!

Por vezes, alguns pensam que meu “espírito inflamado” de amor a esta Pátria é porque convivo com Militares… Não Senhores! Eu apenas divido com ELES aquilo que muitos pais esqueceram de vos ensinar… Que o BRASIL está acima de tudo!

E onde quer que eu vá, esta Bandeira será honrada! Pois foi graças a ELA que sou o que sou e que mantive erguida a minha cabeça!

Dia após dia eu ensino aos meus filhos que o GALARDÃO de HONRA de um homem está na sua vida de serviço à Pátria.

Onde quer que eu vá, deixarei a todos o meu exemplo!

Viver e Morrer com Honra…

É assim que EU quero que esta Nação lembre-se de mim…

Se EU não amar minha Pátria primeiro; não serei digno nem de minha sepultura. Porque será neste solo que serei enterrado com HONRA! Somente os FORTES poderão desejar com ardor, ser enterrados nesta TERRA chamada BRASIL!

Sim morreria pela Pátria! Não pela Pátria que ela é hoje em dia… mas pela Pátria que eu espero que ela seja algum dia!
Silvia Nobre Wajãpi, do Amapá e do Brasil.

Skip to content