Escolha uma Página
Veículo não tripulado criado pelo IME pode ajudar a encontrar sobreviventes na Serra
Uma das principais dificuldades das equipes de resgate para se chegar a áreas mais distantes devastadas pelas chuvas, a “falta de teto” para helicópteros — por causa do mau tempo — poderá ser contornada com um projeto educacional do Instituto Militar de Engenharia. O veículo não tripulado Lanu, construído e adaptado por alunos do IME, já está em Teresópolis e aguarda o momento oportuno para monitorar localidades em que ainda possam existir sobreviventes.
Foto: Divulgação
Planador Lanu tem câmera que transmite em tempo real as imagens | Foto: Divulgação
O miniplanador voa a mil metros de altura e tem uma câmera com sistema que transmite imagens para qualquer palmtop. Em terra, o operador tem raio de ação de até 10 quilômetros de distância e acompanha a movimentação do equipamento por GPS, que identifica sua localização. O Lanu cabe numa mochila e funciona com baterias recarregáveis, fazendo sobrevoos de 40 minutos. 
“Estamos enfrentando problema de teto para as aeronaves no início do dia e no fim da tarde. Em situações assim, não arriscarei o piloto para localizar vítimas. Neste caso, podemos encaminhar uma equipe de resgate por terra. O Lanu ainda não voou. Quando não tiver teto para os helicópteros, ele sobe”, explicou o oficial de Comunicação Social da 1ª Divisão do Exército, major Rovian Janjar.
Esta será a primeira missão real do veículo. O Lanu chegou à região sexta-feira e poderá ser utilizado em Nova Friburgo e Petrópolis.
O DIA ONLINE
Skip to content