Escolha uma Página
Jornal da Band
Aviões das forças aéreas de cinco países cruzaram nesta terça-feira os céus do Nordeste para uma guerra simulada. Durante o exercício militar, os pilotos fizeram uma manobra arriscada: o reabastecimento de um caça em pleno voo.
Equipados com mísseis guiados por infra-vermelho e por radar, os aviões de guerra alcançam mais de 2.200 km/h. São 39 aeronaves da Argentina, Chile, França, Estados Unidos e Uruguai, além de 50 brasileiras, que hoje, pela primeira vez, cortaram os céus do Nordeste.
Os aviões que mais chamam a atenção são os Rafale, aeronaves francesas, uma das mais modernas do mundo para batalhas aéreas. Elas estão na lista do governo brasileiro que pretende adquirir 36 aviões para reequipar a força aérea.
Os Rafale foram os primeiros a decolarem hoje, junto com os aviões americanos. Os exercícios foram planejados em conjunto, justamente para haver uma troca de experiência. A guerra simulada no céu do Nordeste vai durar mais 10 dias.
Skip to content