Escolha uma Página
Menor confessa ser autor de disparo e polícia desvenda morte de militar
Dayane Pozzer
A Polícia Civil de Rondonópolis, através da Divisão de Crimes Contra a Pessoa (DCCP) sob a responsabilidade interina da delegada Divina Aparecida Vieira Martins da Silva esclareceu o assassinato do ex-soldado do Exército Brasileiro, Diego Ribeiro Nascimento, de 22 anos. 
O jovem foi morto com um tiro no tórax no dia 19 de setembro deste ano, por volta de 04h, ao sair de uma casa noturna localizada no Centro de Rondonópolis, na Avenida Dom Wunibaldo. Segundo a delegada, o caso foi elucidado na tarde desta segunda-feira (8) quando o menor A.J.S., de 16 anos, confessou ser o autor do disparo. 
O adolescente está preso na Delegacia Especializada do Adolescente (DEA) há certa de 30 dias por crime de tráfico de drogas e durante seu depoimento nesta segunda-feira (8) disse ter atirado em Diego após uma briga dentro da casa noturna. Conforme o menor, Diego teria se interessado pela mesma menina durante a festa, mas não soube identificar para a delegada quem é a garota, apenas que seria menor também.
Os seguranças da casa tiraram os dois do local, mas Diego conseguiu retornar. Já A.J.S., por ser menor, continuou do lado de fora e aguardou a saída de Diego por cerca de três horas. O adolescente contou que chegou armado no local, mas que escondeu o revólver calibre 38, marca Taurus, em meio a tijolos no estacionamento ao lado do estabelecimento.
Assim que avistou Diego ao sair da festa, o adolescente atirou e o acertou no tórax. Em seguida, fugiu do local. O ex-soldado chegou a ser socorrido e encaminhado ao Hospital Regional, mas morreu ao dar entrada na unidade. Conforme a delegada, o menor relatou ainda que tem o revólver desde 2008, quando tinha apenas 14 anos, e que no dia seguinte ao crime vendeu a arma.
Ainda de acordo com Divina Aparecida, o adolescente morava no Jardim Sumaré sozinho e contou que sua mãe trabalha no litoral, mas não soube dizer em que cidade. O depoimento de A.J.S, contou a delegada, foi feito de forma tranqüila, sem maiores problemas em relatar os detalhes do crime. O menor, no entanto, nega a acusação de tráfico. Com ele foi apreendida a porção de 17 petecas no dia 06 de outubro.
Skip to content