Escolha uma Página
De 16 a 24 de julho de 2011, o Rio sediará a quinta edição dos Jogos Mundiais Militares, do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM). Chamados informalmente de Olimpíadas Militares, os jogos reunirão seis mil atletas de 110 países, em 20 esportes, sendo 15 olímpicos: atletismo, boxe, basquete, esgrima, futebol, hipismo, iatismo, judô, natação, pentatlo moderno, taekwondo, tiro esportivo, triatlo, vôlei e vôlei de praia.
Cinco modalidades militares integram o programa: orientação, paraquedismo, pentatlo naval, pentatlo militar e pentatlo aeronáutico. Do pentatlo moderno, constam hipismo, esgrima, natação, tiro e corrida. Já o pentatlo militar reúne tiro, pista com obstáculos, natação utilitária, lançamento de granada e cross-country. Do aeronáutico fazem parte tiro, esgrima, natação com obstáculos, basquete (arremessos individuais) e pista com obstáculo. E no pentatlo naval, além de corrida com obstáculos, há natação de salvamento, natação utilitária, habilidade naval e cross-country anfíbio.
Na realidade, os V Jogos Mundiais Militares serão um teste para as Olimpíadas de 2016, no que se refere a organização, estrutura, transporte e qualidade das instalações. A infraestrutura inclui, entre outros locais, o Engenhão, o estádio de São Januário, a Escola Naval, o Maracanãzinho, a Praia de Copacabana e instalações militares como as de Resende, que vão sediar o paraquedismo. As novidades serão um estande no Centro Nacional de Tiro e as Vilas Verde, Azul e Branca, que vão hospedar as delegações. Após o evento, passarão a ser de uso militar.
O fato de serem Jogos Militares não quer dizer que os atletas tenham se formado nos quartéis. Na delegação brasileira, que deverá ter 300 integrantes, um bom número deles é de atletas olímpicos que ingressaram nas Forças Armadas mediante edital de convocação. No ano passado, 72 atletas foram incorporados ao Exército como sargentos temporários, entre eles medalhistas olímpicos, como Tiago Camilo, Flávio Canto e Leandro Guilheiro (judô), Vicente Lenílson (atletismo) e Natália Falavigna (taekwondo). 
Skip to content