Escolha uma Página

O texto é anônimo, mas, nem por isto, deixa de ser pertinente. Vale a leitura.

Como diria o Cap Nascimento: Jobijobá você é um fanfarrão… Pede prá sair…
É muito difícil para mim viver nessa época de lulas, dilmas, jobins e afins…
Sou filho, sobrinho, primo, tio e pai de militares. Do Exército e da Marinha. Todos “ficha Limpa”…
Há poucos dias fiquei feliz com a aprovação de meu filho para a Eceme…
Hoje, tenho o desprazer de tomar conhecimento da tal lei assinada pelo apedeuta ontem, DIA DO SOLDADO, LEI COMPLEMENTAR Nº 136, DE 25 DE AGOSTO DE 2010.
Só pode ser de propósito essa merda. Como se julga muito engraçado, o comandante (???) das FA usou a ocasião para gracinhas e piadas não pertinentes a algo que deveria ser sério, com os olhos voltados para o futuro.
O que fez a anta? Assinou uma Lei que LHE TIRA o comando das FA e entrega para um MINISTRO – cargo Político, de duração indeterminada – que, se for bom e líder, tornar-se-á o ser mais PODEROSO do governo e, óbvio, uma ameaça. De qualquer governo. Se for ruim – mis provável – não vai fazer nada além de abrigar apadrinhados na cornucópia de DAS inventados para inchar a burocracia… Quer dizer no way out…
O líder sindical deveria saber – e SABE – que COMANDO NÃO SE DELEGA. Comando é para ser exercido, ainda mais sobre instituições cuja formação principal é MATAR GENTE e DESTRUIR coisas construídas por gente, por pessoas, por seres humanos.
O MILITAR É O PROFISSIONAL DA MORTE. Seu contrato de trabalho com a Nação, com o País, com o Povo e com o Estado termina assim “… cuja honra, integridade e instituições defenderei COM O SACRIFÍCIO DA PRÓPRIA VIDA”.
NENHUM outro servidor do Estado tem esse compromisso…
As Forças Armadas têm o monopólio legal para o exercício da Grande Violência, em nome do Povo, em nome da Nação, em nome do Estado. É disso que se trata. É essa a função do militar em qualquer país, em qualquer quadrante.
Essa força e esse poder necessitam de COMANDO – único e legal – que, ao longo dos tempos, foi exercido pelo Presidente da República, no caso do Brasil. Agora não é mais…
Pois bem, o Lula, aconselhado não sei por quem – abdica desse OBRIGAÇÃO legal e moral e entrega tudo ao atual MD.
Depois disso deveria renunciar e ir tomar cachaça em São Bernardo, sua verdadeira vocação.
O que me espanta é a PASSIVIDADE dos fardados, dos militares…
Anestesiados, calados, perfilados e… perdoem… sendo enrabados e “chutados para baixo”.
Perdendo espaço e admitindo TAMBÉM, PERDA PARCIAL DE CONTROLE NA INDICAÇÃO dos comandos nas Forças. Se uma ou outra promoção a General pode ser discutida, no “Atacado”, no conjunto, os oficiais que chegam ao posto de General merecem a honraria.
Gostaria que algum companheiro de farda – ou civil – provasse que eu estou errado ou enganado.
Ontem, ouvi de um dos mentores, civil da entourage jobiniana, que essa lei é o maior avanço e tem a virtude de agregar conhecimentos obtidos na França, na Rússia, na China, …. Exceto dos Estados Unidos que “não tem nada a nos ensinar”… e outras asnices.
Nem me dou ao trabalho de colocar outros artigos idiotas dessa lei por considerar que a essência está no início. Primeiro foi a END, sem anestesia. Agora essa lei, no seco, na seca, sem água para ajudar a engolir…
Para finalizar: sei que o Jobim é considerado “o melhor ministro da defesa” que tivemos até hoje. Em minha opinião isso é lamentável, pois se ele é o melhor, imagine os anteriores.
Tivemos, se a memória não falha, uns 5 ou seis antes dele. Um, pelo menos, coincidentemente o primeiro, sem NENHUMA condição moral para o cargo. Preparo técnico, nenhum tinha, mas a estrutura ajudava a manter a nau com algum rumo. De agora em diante será uma incógnita. A Inglaterra demorou mais de 40 anos para ajustar-se ao sistema “ministério da defesa”; os EUA, 47, se não me engano. Nós, que NUNCA TIVEMOS O CONCEITO DE JOINT, para operarmos, vamos ter que entender, compreender e aprender. Quanto tempo vai demorar isso?
Vão esculhambar também com o Sistema de Ensino do Exército? Das FA?
Por último: quer fazer gracinha e ter Forças Armadas Compatíveis com o tamanho e a importância do País – a justificativa é essa: O tamanho político e Estratégico do País exige isso! Isso custa dinheiro.
Quem vai pagar a conta? Como? De onde sairão os BILHÕES de dólares necessários para termos FA minimamente operacionais e preparadas para o que delas se espera?
Nem na END, nem nessa lei nem em lugar algum se fala em RECURSOS… Dinheiro para “n” cargos de DAS aí tem… Mais aparelhamento político em uma área sensível… Muito.
A remuneração dos militares continuará muito abaixo da de diplomatas, policiais do Distrito Federal, etc. Tiraram de nós o auxílio de moradia, o adicional de inatividade e outros.
Isso tudo é mais uma grande farsa desse governo que vai sair… Huummm… Vai mesmo?
Como diria o Cap Nascimento: Jobijobá você é um fanfarrão… Pede prá sair…
País tão grande, habitados por homens pigmeus… e burros!!!!
Skip to content